icons.title signature.placeholder Bruno Andrade e Rodrigo Vessoni
28/12/2013
12:02

Emirados Árabes Unidos. É daí que vem a maior esperança de Andrés Sanchez para vender o nome do estádio do Corinthians por, pelo menos, 400 milhões de reais (por 20 anos).

O dirigente, que concedeu entrevista ao LANCE!Net, viajou duas vezes nos últimos meses para conversar com xeques árabes supostamente interessados na aquisição do naming rights do futuro palco de abertura da Copa de 2014. A primeira viagem até o EAU ocorreu no fim de outubro.

E MAIS:
> Primeira parte da entrevista
> Segunda parte da entrevista

O dirigente, na ocasião, foi até Dubai na companhia de um empresário ligado ao futebol (Franck Henouda) para conversar com xeques de um fundo árabe não-revelado.

Na sequência, em meados de novembro, Andrés foi até Abu Dhabi na companhia de um conselheiro do Corinthians e de um advogado do clube para conversar com representantes do Abu Dhabi Investiment Authority, o maior fundo dos Emirados Árabes. Houve a conversa, que pode resolver um assunto que não deveria ser problema. De acordo com Andrés, naming rights deveria ter sido vendido há tempo. Veja o que diz Andrés sobre o assunto:

A definição do naming rights da Arena Corinthians está atrasada?
Está atrasada.

Muito atrasada?
Não, muito não. Quando começou a obra era para ter vendido o naming rights. Infelizmente, não conseguimos.

O Corinthians está pedindo um valor muito alto?
Não sei, é uma negociação nova no Brasil, não há esperteza nesse meio, todos têm receio, as manifestações na Copa das Confederações também atrapalharam. Mas acredito que nos próximos meses vamos ter concretizada a venda.

Alguns clubes, grandes até, tem encontrado dificuldade para conseguir patrocínio master da camisa. Um valor de R$ 400 milhões, por mais que seja para ser quitado em 15, 20 anos, assusta, não?
Nunca reclamaram de valores, reclamam do que a imprensa escreve (sobre o nome do estádio). O que vocês escrevem? Eu sei que o LANCE! escreve “Arena Corinthians”.

Você acha que vai pegar o nome do estádio?
Vai ter que pagar. É uma coisa nova no Brasil, vamos aprender, será bom para o esporte, para o país todo.

Você recebeu uma proposta há algum tempo de R$ 280 milhões?
Isso.

Achou pouco?
Achei, não. Não fecha.

Qual é o mínimo?
Não tem mínimo, você tem de perguntar qual o máximo...

Qual é o máximo?
Não tem máximo, pode virar Arena LANCE! se derem R$ 500 milhões. Quem pagar o que a gente quer, leva. Pode ser empresa chinesa, brasileira, carioca, paulista, o que for.