icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
11/03/2014
14:57

O presidente do Sporting, eleito no ano passado, resolveu comprar mesmo a briga pela revolução no futebol português. Bruno de Carvalho não se cansa de criticar atitudes de outros dirigentes, principalmente Porto e Benfica, que segundo ele, desmoralizam o esporte no país. Bruno admite até que tem recebido duras ameaças, e lembra que já houve caso de vandalismos recentes.

- Tenho recebido ameaças de morte. Há pouco tempo, o carro do (Augusto) Inácio (diretor do Sporting) foi vandalizado e não me ouve dizer se é o clube ou pessoa A, B ou C. É o esporte sem regras que leva a isso. Não entendo quando me vêm falar de talhos (espécies de pequenos mercados em Portugal, o de um árbitro foi vandalizado após um jogo do Sporting contra o Nacional) - disse Bruno:

- Que eu saiba ainda não houve dirigentes de clubes sendo agredidos. Condenamos qualquer tipo de violência. Os sportinguistas têm de arranjar formas pacíficas de dizer basta e isso várias vezes temos visto com sucesso em vários setores da sociedade.

Bruno ainda falou sobre os pontos que perdeu por erros de arbitragem na temporada, ainda mais perto de um clássico contra o Porto. Disse que mesmo com uma possível pressão que possa existir por esta partida, acredita que o pedido de moralização deva ser maior.

- É uma semana depois da vergonha contra o Vitória de Setúbal. Por acaso há um Sporting x Porto. Como é um jogo complicado deveríamos estar calados... Não estamos preocupados com o adversário, interessa-nos dizer "basta". Mesmo uma vitória contra o Porto não apaga os sete pontos que nos retiraram. Só dá três... Queria era somar os sete que de forma grosseira nos tiraram - concluiu.