icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
20/11/2014
16:52

O presidente do São Paulo, Carlos Miguel Aidar, lamentou nesta quinta-feira a morte do ex-ministro da Justiça Márcio Thomaz Bastos. Advogado, ex-presidente da seccional paulista da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Aidar prestou solidariedade aos familiares do colega de profissão.

- Um dos advogados criminalistas mais influentes do país, foi um homem exemplar, íntegro e leal, tanto na vida pública como na atividade privada. Gostaria, assim, de me solidarizar com os familiares, amigos e colegas neste momento de dor diante de tão grande perda para o país - disse Aidar, sobre Thomaz Bastos, por nota oficial.

Márcio Thomaz Bastos, de 79 anos, morreu na manhã desta quinta-feira no Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo, onde estava internado deste terça-feira para tratamento descompensação de fibrose pulmonar, segundo boletim médico divulgado pelo hospital.

O corpo do ex-ministro está sendo velado na Assembleia Legislativa de São Paulo. O corpo de Márcio será cremado nesta sexta-feira pela manhã, no Cemitério Horto da Paz, em Itapecerica da Serra.

Um dos advogados criminalistas mais influentes do país, Thomaz Bastos foi Ministro da Justiça no governo de Luiz Inácio Lula da Silva, entre 2003 e 2007. Em 2012, atuou no julgamento do Mensalão, no Superior Tribunal Federal, em defesa ex-vice-presidente do Banco Rural José Salgado.