icons.title signature.placeholder RADAR/LANCEPRESS!
icons.title signature.placeholder RADAR/LANCEPRESS!
26/08/2015
20:43

O clima esquentou de vez na Serrinha. Após perder para o Brasília, por 2 a 0, e ser eliminado da Copa Sul-Americana, nesta terça, o elenco do Goiás foi duramente criticado pelo presidente do clube, Sérgio Rassi. Nesta quarta-feira, o mandatário do Esmeraldino não poupou palavras e disse que o time não mostrou seriedade nem respeito à camisa do Goiás.

- Eu fico preocupado com o time limitado que temos. Acho que foi a pior partida do Goiás nos últimos tempos, um time sem foco, sem criatividade e com uma falta de seriedade incrível. Foi uma atuação sem respeito com a camisa do Goiás, não deram a devida atenção que o jogo merecia. Com todo o respeito ao Brasília, mas é um time muito limitado e é inaceitável a gente ficar 180 minutos sem marcar um gol sequer no Brasília - comentou Rassi, à Rádio 730, ressaltando a fragilidade do adversário.

Além de amargar a eliminação para um adversário que não está em nenhuma das quatro divisões nacionais, o Esmeraldino também deixou de ganhar 150 mil dólares, que seriam dados ao vencedor do confronto. 

- Realmente não dá para entender. Não tem explicação, só fica uma dor muito grande. Além do vexame de uma eliminação no âmbito esportivo, fica também o enorme prejuízo financeiro. A Sul-americana é uma competição muito interessante financeiramente, os valores eram muito bons. Fica essa lamentação também, foi uma vergonha o que vimos hoje, melhor esquecer - encerrou.

Já o treinador do Alviverde, Julinho Camargo, rebateu as declarações do presidente e afirmou que não houve falta de seriedade ou respeito com a instituição. 

- Comprometimento e seriedade não faltou de maneira nenhuma. Não estamos aqui para brincar ou fazer palhaçada, somos profissionais e temos respeito à nossa profissão e ao clube. Fizemos todo um planejamento para vencer e não aconteceu. Foi uma noite infeliz, não fizemos o gol, é isso, não tem muito o que falar - disse Julinho à Rádio 730, de Goiânia. 

Camargo admitiu o mau desempenho do Esmeraldino, mas deu méritos ao Brasília, vencedor do embate no Serra Dourada.

- Vários jogadores que acabaram atuando muito abaixo do normal e isso comprometeu nosso coletivo. O conjunto todo nosso hoje não desenvolveu um bom jogo. Quando tinha a posse de bola não conseguia finalizar, não éramos ofensivos. Do outro lado tinha uma equipe bem organizada e preparada para fazer esses jogos. Temos que dar mérito ao Brasília, souberam compor bem e eliminar nossos pontos fortes. Às vezes na derrota a gente vê só nossos erros, mas o lado de lá foi muito bem e está de parabéns - completou. 

O time de Julinho volta a campo neste domingo, às 18h30, para encarar o Atlético-PR, na Arena da Baixada, pela 21ª rodada do Brasileirão.

O clima esquentou de vez na Serrinha. Após perder para o Brasília, por 2 a 0, e ser eliminado da Copa Sul-Americana, nesta terça, o elenco do Goiás foi duramente criticado pelo presidente do clube, Sérgio Rassi. Nesta quarta-feira, o mandatário do Esmeraldino não poupou palavras e disse que o time não mostrou seriedade nem respeito à camisa do Goiás.

- Eu fico preocupado com o time limitado que temos. Acho que foi a pior partida do Goiás nos últimos tempos, um time sem foco, sem criatividade e com uma falta de seriedade incrível. Foi uma atuação sem respeito com a camisa do Goiás, não deram a devida atenção que o jogo merecia. Com todo o respeito ao Brasília, mas é um time muito limitado e é inaceitável a gente ficar 180 minutos sem marcar um gol sequer no Brasília - comentou Rassi, à Rádio 730, ressaltando a fragilidade do adversário.

Além de amargar a eliminação para um adversário que não está em nenhuma das quatro divisões nacionais, o Esmeraldino também deixou de ganhar 150 mil dólares, que seriam dados ao vencedor do confronto. 

- Realmente não dá para entender. Não tem explicação, só fica uma dor muito grande. Além do vexame de uma eliminação no âmbito esportivo, fica também o enorme prejuízo financeiro. A Sul-americana é uma competição muito interessante financeiramente, os valores eram muito bons. Fica essa lamentação também, foi uma vergonha o que vimos hoje, melhor esquecer - encerrou.

Já o treinador do Alviverde, Julinho Camargo, rebateu as declarações do presidente e afirmou que não houve falta de seriedade ou respeito com a instituição. 

- Comprometimento e seriedade não faltou de maneira nenhuma. Não estamos aqui para brincar ou fazer palhaçada, somos profissionais e temos respeito à nossa profissão e ao clube. Fizemos todo um planejamento para vencer e não aconteceu. Foi uma noite infeliz, não fizemos o gol, é isso, não tem muito o que falar - disse Julinho à Rádio 730, de Goiânia. 

Camargo admitiu o mau desempenho do Esmeraldino, mas deu méritos ao Brasília, vencedor do embate no Serra Dourada.

- Vários jogadores que acabaram atuando muito abaixo do normal e isso comprometeu nosso coletivo. O conjunto todo nosso hoje não desenvolveu um bom jogo. Quando tinha a posse de bola não conseguia finalizar, não éramos ofensivos. Do outro lado tinha uma equipe bem organizada e preparada para fazer esses jogos. Temos que dar mérito ao Brasília, souberam compor bem e eliminar nossos pontos fortes. Às vezes na derrota a gente vê só nossos erros, mas o lado de lá foi muito bem e está de parabéns - completou. 

O time de Julinho volta a campo neste domingo, às 18h30, para encarar o Atlético-PR, na Arena da Baixada, pela 21ª rodada do Brasileirão.