icons.title signature.placeholder Carlos Alberto Vieira, Eduardo Mendes, Igor Siqueira e Leo Burlá
14/07/2014
12:05

Depois de passar quase sete anos fazendo pressão para que projetos saíssem do papel no Brasil, o presidente da Fifa, Joseph Blatter, foi só elogios à organização da Copa do Mundo no Brasil. Indagado sobre qual nota daria à competição de 2014 - repetindo o fez com o Mundial de 2010, na África do Sul - Blatter deu uma pontuação maior ao Brasil do que aos africanos (na época, ele deu 9).

- Calculando na última noite, usando computadores, Facebook, eu dou 9,25. Isso quer dizer que melhoramos. Perfeição não existe. Nas universidades, para ter um 10, você tem que ter feito tudo perfeito. E isso não é possível - disse o mandatário do futebol mundial.

Sem motivos para reclamar na estrutura para a competição, apesar dos atrasos, Blatter valorizou o que foi visto dentro do campo.

- Essa Copa, no campo, foi excepcional e a próxima vai ter dificuldade em superar o que vimos aqui. Minha primeira boa impressão foi a abertura. No pontapé do primeiro jogo vi que algo mudaria no país. E quando vi Espanha e Holanda e o segundo tempo, aí eu sabia que algo especial estava acontecendo - completou o dirigente.