icons.title signature.placeholder RADAR/LANCEPRESS!
02/02/2015
11:10

O presidente do Flamengo, Eduardo Bandeira de Mello, voltou a afirmar, na manhã desta segunda-feira, em entrevista ao SporTV, o "estranhamento" da diretoria do clube, como colocado em nota divulgada no domingo, quanto aos acontecimentos da invasão do vestiário do Macaé, no Estádio Moacyrzão, antes da partida entre as equipes, pela primeira rodada do Campeonato Carioca. Segundo o dirigente, não havia seguranças para proteger o local. 

- Continuo achando bastante estranho. Como se abre o portão, porque o vimos escancarados, em Macaé, em um jogo cuja lotação estava esgotada? Vimos pessoas entrando normalmente, casal de mãos dadas, adolescentes, mulheres, como se estivesse franqueado ao público. Em um ambiente que tem um jogo concorrido, você quer confusão. Na quarta-feira, se abrirmos os portões, vai acontecer alguma coisa indesejável. Isso vale para teatro, show...Não vi nenhum segurança - afirmou Bandeira de Mello.

Apesar do estranhamento com o ocorrido em Macaé, Bandeira de Mello disse não acreditar que tenha havido qualquer tipo de manipulação sobre os flamenguistas que invadiram o vestiário do time adversário. Os torcedores que criaram o tumulto antes da partida seriam de uma facção organizada do clube. O mandatário ainda elogiou as torcidas organizadas do clube. 

- Não falei isso (que tenha havido manipulação). Sou um profundo admirador das torcidas organizadas do Flamengo. Pode ser extremamente saudável. Nos prestam inestimável serviço, incentivando o time, promovendo um espetáculo que é maravilho, todo mundo que vai ao Maracanã se apaixona. O que não concordamos é com violência e nem temos nenhum tipo de relação espúria, patrocínio, relação econômica com suas torcidas organizadas

No episódio em Macaé, os rubro-negros agrediram jogadores do clube da casa, dentre eles o goleiro Ricardo Berna, que teve de jogar com um curativo no queixo, após ter sofrido um ferimento no local.

Na próxima quarta-feira, às 22h, no Maracanã, o Flamengo receberá o Barra Mansa, em partida que será válida pela segunda rodada do Campeonato Carioca. O presidente Bandeira de Mello voltou a afirmar que não tem ainda um acordo quanto aos preços dos ingressos para a competição. Porém, segundo ele, para este duelo, a questão, que tanto tem gerado problema com a Ferj, está solucionada, já que não haverá a meia-entrada tabela, conforme estabelecido pela Federação.

- Gostaria de falar só de futebol. Não há acordo. Como havia impasse, foi estabelecido um preço para a quarta-feira que agrada o Flamengo. Vai nos evitar de ter um prejuízo se tivesse prevalecido o preço determinado no tribunal. Do jeito que vai ser jogado o jogo de quarta-feira, não teremos o prejuízo que teríamos com a regra do conselho arbitral - disse Bandeira.