icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
24/07/2013
11:14

O presidente da CBF José Marin decretou, através do site oficial da entidade, luto oficial de três dias no futebol brasileiro em homenagem ao ex-lateral-direito Djalma Santos, que morreu na última terça-feira. Durante o período será respeitado um minuto de silêncio em todos os jogos organizados pela CBF.

- O futebol brasileiro perdeu um de seus ídolos. Djalma Santos era um jogador admirável, que todas as torcidas gostavam, pela categoria do seu futebol, mas também pela disciplina e lealdade. Tive o privilégio de vê-lo jogar muitas vezes. Lamento profundamente a sua morte e envio meus sentimentos a toda a sua família - declarou Marin, ao site oficial da CBF.

Djalma lutava para sobreviver há algumas semanas, mas não resistiu. Além de Portuguesa e Verdão, o ex-atleta também defendeu o Atlético-PR. O ídolo nacional disputou quatro Copas do Mundo (1954, na Suíça; 1958, na Suécia; 1962, no Chile; e 1966, na Inglaterra). Djalma Santos venceu os mundiais de 58 e 62 com o Brasil. Em toda carreira, ele jamais foi expulso.

O ex-jogador está sendo velado na Câmara Municipal de Uberaba (MG) e será sepultado nesta terça-feira, às 16h, no Cemitério São João Baptista, em Uberaba. O presidente da Federação Mineira de Futebol, Paulo Schettino, será o representante da CBF na cerimônia.

O craque Djalma Santos deixa saudades ao Futebol Brasileiro

O presidente da CBF José Marin decretou, através do site oficial da entidade, luto oficial de três dias no futebol brasileiro em homenagem ao ex-lateral-direito Djalma Santos, que morreu na última terça-feira. Durante o período será respeitado um minuto de silêncio em todos os jogos organizados pela CBF.

- O futebol brasileiro perdeu um de seus ídolos. Djalma Santos era um jogador admirável, que todas as torcidas gostavam, pela categoria do seu futebol, mas também pela disciplina e lealdade. Tive o privilégio de vê-lo jogar muitas vezes. Lamento profundamente a sua morte e envio meus sentimentos a toda a sua família - declarou Marin, ao site oficial da CBF.

Djalma lutava para sobreviver há algumas semanas, mas não resistiu. Além de Portuguesa e Verdão, o ex-atleta também defendeu o Atlético-PR. O ídolo nacional disputou quatro Copas do Mundo (1954, na Suíça; 1958, na Suécia; 1962, no Chile; e 1966, na Inglaterra). Djalma Santos venceu os mundiais de 58 e 62 com o Brasil. Em toda carreira, ele jamais foi expulso.

O ex-jogador está sendo velado na Câmara Municipal de Uberaba (MG) e será sepultado nesta terça-feira, às 16h, no Cemitério São João Baptista, em Uberaba. O presidente da Federação Mineira de Futebol, Paulo Schettino, será o representante da CBF na cerimônia.

O craque Djalma Santos deixa saudades ao Futebol Brasileiro