icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
11/03/2014
10:05

O presidente do Bayern de Munique Uli Hoeness admitiu na última segunda-feira, durante julgamento, que sonegou impostos com a abertura de uma conta num banco da Suíça. O dirigente pode pegar até dez anos de prisão pela infração cometida. Hoeness já havia se apresentado à Justiça em 2013, com o objetivo de regularizar sua situação financeira e evitar a reclusão. No entanto, o sistema judicial alemão não permite que alguém se declare culpado com a intenção de diminuir a pena.

 - Lamento profundamente meu erro. Farei o necessário para encerrar este episódio lamentável - disse o presidente, reiterando que parte do dinheiro sonegado foi para instituições sociais:

 - Doei um total de 5 milhões de euros para causas sociais. Não sou um parasita social.

De acordo com o advogado do presidente do campeão europeu, Hanns Feigen, um total de 18,5 milhões de euros (R$ 60 milhões) foi depositado pelo cartola no paraíso fiscal.