icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
15/07/2013
17:53

Em uma reveladora entrevista, o presidente do Barcelona, Sandro Rosell, falou sobre as acusações de Pep Guardiola, ex-técnico do clube, negando que tenha impedido seu ex-empregado de falar com Tito Vilanova, atual treinador culé. O atual comandante do Bayern de Munique tinha dito que a diretoria do Barça teria tentado atingí-lo com a proibição de visita a seu ex-auxiliar.

 - Ficamos supreendidos com as declarações de Pep. São falsas. Nenhum membro da minha diretoria, nem eu usaríamos a doença de Tito (para atingir Guardiola). Não entendo. Somos pessoas também, não gostamos do que ele falou. É um rival, mas não um inimigo. Reitero que, em relação a Pep, temos que pensar nas partes boas, no que deixou para nosso clube, agradecer-lhe para sempre. Todos os sócios do Barça são "Guardiolistas" pela eternidade - comentou Rosell ao canal de TV "8TV".

Ao ser questionado sobre um futuro desejo que Guardiola teria de ser presidente do Barcelona, o atual mandatário culé disse que não via o espanhol no seu cargo, mas garantiu que, se ele quisesse, votaria em Pep:

 - Sinceramente, não o vejo como presidente, mas se esse for o caso ficaria encantado. Me parece que essa deveria ser sua última etapa no futebol, após realizar todos os seus desejos como técnico. Eu com certeza votaria nele.

Por fim, Rosell falou sobre dois ex-jogadores do Barcelona - Thiago e Villa -, e de Victor Valdés, que quer sair do Barcelona ao fim de seu contrato, mas deve ficar para a atual temporada:

 - Valdés vai ficar porque quer. Disse-nos que está feliz e Tito também está feliz com ele. Vai sair apenas na outra temporada, ao fim de seu contrato. No caso de Villa, ele sabia que não jogaria tanto ano que vem e fez sua escolha baseado nisso. Em relação a Thiago, garanto que Guardiola o contratou porque quis e não por influência de seu irmão (Pere, irmão de Pep, é o empresário do meia híspano-brasileiro).


Em uma reveladora entrevista, o presidente do Barcelona, Sandro Rosell, falou sobre as acusações de Pep Guardiola, ex-técnico do clube, negando que tenha impedido seu ex-empregado de falar com Tito Vilanova, atual treinador culé. O atual comandante do Bayern de Munique tinha dito que a diretoria do Barça teria tentado atingí-lo com a proibição de visita a seu ex-auxiliar.

 - Ficamos supreendidos com as declarações de Pep. São falsas. Nenhum membro da minha diretoria, nem eu usaríamos a doença de Tito (para atingir Guardiola). Não entendo. Somos pessoas também, não gostamos do que ele falou. É um rival, mas não um inimigo. Reitero que, em relação a Pep, temos que pensar nas partes boas, no que deixou para nosso clube, agradecer-lhe para sempre. Todos os sócios do Barça são "Guardiolistas" pela eternidade - comentou Rosell ao canal de TV "8TV".

Ao ser questionado sobre um futuro desejo que Guardiola teria de ser presidente do Barcelona, o atual mandatário culé disse que não via o espanhol no seu cargo, mas garantiu que, se ele quisesse, votaria em Pep:

 - Sinceramente, não o vejo como presidente, mas se esse for o caso ficaria encantado. Me parece que essa deveria ser sua última etapa no futebol, após realizar todos os seus desejos como técnico. Eu com certeza votaria nele.

Por fim, Rosell falou sobre dois ex-jogadores do Barcelona - Thiago e Villa -, e de Victor Valdés, que quer sair do Barcelona ao fim de seu contrato, mas deve ficar para a atual temporada:

 - Valdés vai ficar porque quer. Disse-nos que está feliz e Tito também está feliz com ele. Vai sair apenas na outra temporada, ao fim de seu contrato. No caso de Villa, ele sabia que não jogaria tanto ano que vem e fez sua escolha baseado nisso. Em relação a Thiago, garanto que Guardiola o contratou porque quis e não por influência de seu irmão (Pere, irmão de Pep, é o empresário do meia híspano-brasileiro).