icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
03/02/2015
14:12

A acusação que recai sobre o presidente do Barcelona, Josep Maria Bartomeu, de fraude na contratação de Neymar irá mesmo parar no tribunal. O juiz Pablo Ruz, da Audiência Nacional da Espanha, convocou o dirigente para depor na condição de réu na próxima sexta-feira. Além disso, o próprio Barça terá que responder no caso como pessoa jurídica.

O inquérito contra Bartomeu refere-se a uma possível fraude de 2,8 milhões de euros (R$ 8,4 milhões) na contratação de Neymar. O negócio causa polêmica na Espanha desde que foi firmado, em meados de 2013. 

O Fisco calcula que, contando os impostos, Neymar custou 95 milhões de euros (R$ 287,6 milhões). O clube catalão teria admitido que houve problemas na transação e já estaria negociando o pagamento da multa à Justiça para encerrar o caso.

O Barça, no início da investigação, disse que pagou 17 milhões de euros (R$ 51,4 milhões) pelo craque para admitir posteriormente o pagamento de 57 milhões de euros (R$ 172,6 milhões). A diferença seria um adiantamento ao pai de Neymar, que admitiu o recebimento, visto como ilegal pelo Santos, que entende que o valor teria de ser igualmente repartido entre os donos dos direitos econômicos do atleta na época (o Santos, a DIS e a família de Neymar). Posteriormente, o valor final do negócio, segundo os espanhóis foi de 86,2 milhões de euros (R$ 286 milhões).