icons.title signature.placeholder RADAR/LANCEPRESS!
26/02/2015
08:15

A cobertura do nome e dos escudos do América-MG no Estádio Independência, na noite desta quarta-feira, durante a partida em que o Atlético-MG foi derrotado, por 1 a 0, pelo Atlas, do México, pela segunda rodada do Grupo 1 da Copa Libertadores da América, surpreendeu o presidente do América-MG, Alencar da Silveira Junior.

A medida foi tomada por determinação da Conmebol (Confederação Sul-Americana de Futebol) e executada pela BWA, administradora da arena. O mandatário do Coelho afirmou que tomará medidas cabíveis na Justiça para defender os interesses do clube.

- Esse estádio está alugado para o Atlético-MG jogar seus jogos. Então, eles não poderiam nunca chegar num estádio, de propriedade do América-MG, e fazer isso. Fizemos um boletim de ocorrência notificando a Conmebol e a BWA. E vamos entrar na justiça amanhã notificando todas as perdas que o América-MG teve nessa situação. A Conmebol fez isso com o aval da BWA, e ela vai ter que pagar, este prejuízo. Porque existe um contrato e ele tem que ser respeitado - afirmou Alencar, em entrevista à Rádio Itatiaia.

De propriedade do América, o Independência tem sido a casa do Atlético-MG desde a reabertura do estádio, em 2011, após obras de reforma. Em 2013, a Conmebol já havia tentado tomar a medida de tapar os símbolos americanos em partida do Galo contra o São paulo, também pela Libertadores. Porém, após reunião com o Governo do Estado de Minas Gerais, dirigentes do América-MG e do Atlético, ficou definido que isto não ocorreria.

BWA SE JUSTIFICA
De acordo com nota de sua assessoria de imprensa, a BWA informou que o regulamento da Conmebol prevê que apenas marcas e clubes participantes da Libertadores e de seus participantes apareçam nos estádios sedes do torneio. Segundo a empresa, ela apenas cumpriu ordens, já que as determinações partem da Confederação Sul-Americana.