icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
04/11/2014
15:02

O CVC Capital, acionista majoritário da Fórmula 1, vai tomar uma medida para amenizar a crise financeira que as equipes menores estão passando. Segundo o jornal britânico 'The Guardian', o grupo pretende distribuir 100 milhões de libras (cerca de R$ 400 milhões) para que essas escuderias não deixem a categoria, como aconteceu com Caterham e Marussia, que se afastaram temporariamente da competição enquanto procuram novos investidores.

Além de Caterham e Marussia, outras equipes anunciaram quedas nas receitas e enfrentam dificuldades para pagar fornecedores e funcionários, como Force India, Sauber e Lotus.

O presidente do CVC, Donald Mackenzie, teria se comprometido a buscar soluções de longo prazo para evitar um possível boicote de algumas equipes em crise financeira nas últimas etapas do ano. As escuderias menores reclamam da divisão do dinheiro da comercialização dos direitos da F-1.O chefão da Fórmula 1, Bernie Ecclestone, já reconheceu que a verba está sendo dividida de forma errada.

Ecclestone comentou a possibilidade de o campeonato ter apenas sete equipes em 2015. Inclusive, foi ventilado a chance de cada equipe contar com três carros, mas essa ideia foi rejeitada pelas equipes porque geraria custos muitos altos.