icons.title signature.placeholder Michel Castellar
12/11/2014
13:23

O prefeito do Rio, Eduardo Paes, não cogita mudar de lugar o novo Autódromo Internacional da cidade, previsto para ser erguido em Deodoro, na Zona Oeste. Na terça-feira, o L!Net revelou que o governo federal, responsável pelas obras, suspendeu temporariamente todo tipo de trabalho no local, enquanto uma briga judicial com o Ministério Público-RJ não for solucionada.

A polêmica na construção do novo autódromo começou quando o MP-RJ conseguiu uma liminar para a paralisação das obras até que um estudo de impacto ambiental fosse apresentado pelo governo federal. Desde então, a União tenta cassar o documento.

Diante do impasse, o diretor Jurídico da Confederação Brasileira de Automobilismo (CBA), Felippe Zeraik, acusou o prefeito do Rio de ter abandonado o processo de construção da nova instalação. Em 2012, Paes negociou com a entidade a antecipação da destruição do Autódromo Internacional Nelson Piquet, em Jacarepaguá, para a construção do Parque Olímpico dos Jogos Rio-2016 em troca da promessa de que o novo estaria concluído em até um ano e meio.

- A CBA tem toda a razão. É importante ter um autódromo no Rio de Janeiro, a área prevista é aquela área de Deodoro e acho que ainda é a melhor alternativa. Estamos esperando (resolver) esses imbróglios ambientais.

Sobre a presença de artefatos explosivos no terreno, que ainda passa por uma descontaminação, Paes ironizou. O local escolhido para o novo autódromo, que fica em uma área militar, ainda contém bombas enterradas, por causa de um acidente ocorrido em 1958.

- (Dizem) que tem bomba parar explodir ali. É tanta gente palpitando. Imagina se alguém é insano o suficiente para construir uma pista de automobilismo em um lugar cheio de bomba para explodir. Ninguém aqui é suicida ou homicida, mas essas coisas, às vezes, exigem que a gente esclareça, detalhe, fale 500 vezes - salientou Paes, que iniciou nesta quarta-feira as obras do quarto corredor de ônibus expresso, o Transbrasil, que ligará Deodoro ao Centro do Rio.

O Transbrasil já foi considerada uma obra olímpica mas, depois, foi retirado do projeto. A via tem previsão para ficar pronta no fim de 2016.