icons.title signature.placeholder Carlos Alberto Vieira
11/06/2014
14:25

Nesta quarta-feira pela manhã, o governo do Amazonas e a prefeitura de Manaus apresentaram, em um desfile realizado na frente do portão principal da Arena da Amazônia, o efetivo de 5000 policiais que irão cuidar da segurança da cidade durante a Copa do Mundo. Entretanto, o fato mais marcante do evento, foi uma manifestação. Enquanto os policiais marchavam para o desfile, Cerca de 500 trabalhadores da Construção Civil fizeram uma passeata, usaram carro de som e reclamavam por melhores salários e cesta básica, prometendo greve na sexta-feira caso as suas reivindicações não sejam atendidas. Chegaram até a fechar a Rua Constantino Nery, a principal via de acesso para o estádio.

Arthur Neto, prefeito de Manaus, durante entrevista coletiva concedida na Arena da Amazônia, declarou que manisfestações, desde que ordeiras, darão um colorido especial ao Mundial.

- Nem sabia que teríamos este protesto.  Mas na minha opinião, foi bom que houvesse uma manifestação. Na verdade, a manifestação ordeira, e não o distúrbio, é bonito, faz parte da beleza da Copa, faz parte da festa - disse o prefeito de Manaus.

O cerimonial também contou com a presença do governador José Melo. Para entrar no clima da Copa do Mundo, a banda da Polícia Militar executou várias músicas ligadas ao futebol, como "Pra frente Brasil". Um helicóptero que será usado durante o Mundial também foi uma das estrelas da festa.