icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
27/11/2014
19:16

Em um dia histórico para o torcedor pontepretano, o prefeito de Campinas, Jonas Donizette (PSB) assinou o projeto de lei que prevê a construção da Arena da Ponte Preta no fim da tarde desta quinta-feira. O novo estádio da Macaca será onde se localiza atualmente o CT do clube, tendo como sede no Bairro Jardim Eulina - próximo à Rodovia Anhanguera. O autor do projeto é o próprio executivo da cidade.

Antes da assinatura do político, a lei passou por várias votações na Assembleia Legislativa. O texto original é de 1975, ano em que a Prefeitura fez uma doação ao terreno do Jardim Eulina. Em contrapartida,  o executivo reforça a utilização original prevista - de CT e clube poliesportivo, sendo que terá um prazo de dez anos para executar todas as etapas das obras. Além da Arena Multiuso no local, o Alvinegro Campineiro deseja explorar atividades comerciais, hotel, shows, espaços culturais, empresarial e praça de estacionamento. A previsão é que o novo estádio seja concluído em até três anos.

Em entrevista ao site oficial do clube, o prefeito declarou que a nova casa da Macaca trará inúmeros benefícios para a cidade. O político reforçou que o novo estádio do Alvinegro Campineiro irá ganhar bastante visibilidade no cenário nacional.

- Fizemos toda uma estrutura legal que dá direito à Ponte preta de fazer uma exploração de uma Arena que ela vai construir e que será muito benéfica para a cidade. A Arena poderá trazer inclusive grandes shows para Campinas,  este show do Paul McCartney que está no Brasil, por exemplo, poderia ter sido aqui se ela existisse e com certeza a Arena movimentará a cidade também neste sentido - afirmou o político.

A nova lei assegura também a destinação de 2% dos lucros dos estádios para fundos municipais de apoio ao esporte e esporte amador. Os parceiros responsáveis para levantar a casa da Ponte Preta já foram definidos pela diretoria, porém o nome está mantido sob sigilo.

O presidente de honra da equipe campineiro, Sérgio Carnielli disse que a data desta quinta ficará marcada na memória do clube e disse que dias melhores virão.

- Com esta lei finalmente nossa Arena deixa o campo do sonho e começa a entrar na realidade, na prática estamos ‘startando’ a obra agora. É importante dizer mais uma vez que não se trata só de um estádio moderno, com mais segurança e conforto ao torcedor, mas de um complexo com restaurantes, serviços, lojas, torres comerciais e outros empreendimentos cuja renda teráuma porcentagem revertida à Ponte, garantindo assim uma maior autonomia financeira e valores significativos para investirmos em um futebol cada vez mais forte - encerrou o dirigente.