icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
08/04/2014
18:40

O goleiro Fernando Prass nunca foi convocado para a Seleção Brasileira, mas mantém o sonho vivo. Aos 35 anos e fazendo um dos melhores semestres da carreira - segundo sua própria avaliação - ele avisa que sempre trabalhará com este objetivo.

- Não só o jogador, mas todas as pessoas vivem de sonhos. Algumas metas tu consegue alcançar, outras não. Mas nada impede de sonhar. Eu sonho em jogar até os 44 anos, e se estiver em alto nível sempre vou sonhar com Seleção, posso estar com 44 anos. Eu trabalho firme para fazer o melhor no Palmeiras. Sempre, claro, com aquela pontinha de sonho de vestir a camisa da Seleção - disse o camisa 25 do Palmeiras.

Prass tem sido questionado com frequência sobre seu bom momento pelo Verdão. Antes de lesionar o tornozelo direito e perder o segundo tempo da derrota por 1 a 0 para o Ituano, pelo Paulistão, e a vitória por 2 a 0 sobre o Vilhena, na Copa do Brasil, ele vinha sendo um dos grandes destaques da equipe de Gilson Kleina. É a melhor fase da carreira?

- Eu respondi uma vez sobre isso. No Vasco, em 2011, fui Bola de Prata no Brasileiro e me perguntaram também. Acho que isso é bom, porque se perguntaram lá e aqui é sinal de que estou conseguindo manter uma regularidade em alto nível. Eu espero que venham coisas melhores pela frente, mas sem dúvida nenhuma posso comparar esse semestre aos melhores da carreira - acrescentou ele, que espera estar de volta contra o Criciúma, dia 20, na estreia do clube alviverde no Brasileirão, fora de casa.

- Foi a segunda entorse que tive no mesmo pé, na mesma maneira e com o mesmo jogador. Foram dois chutes do Alan Kardec. Estou em recuperação, não com bola, mas parte física. Acredito que semana que vem esteja bem.