icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
25/02/2015
07:00

Sempre que questionado sobre a contratação de Aranha, o goleiro Fernando Prass avisou que preferia não comentar. Ele chegou até a se irritar com uma pergunta sobre o tema. Em entrevista à ESPN Brasil, o camisa 1 do Palmeiras deu sua explicação para essa postura:

- Começou tudo em uma coletiva. Até comentei com os assessores de imprensa do Palmeiras, sabia que viria a pergunta. Se eu falasse que precisava contratar um goleiro, iria desprestigiar os meninos do Palmeiras. Se falasse que não era necessária, estaria criando um clima ruim para um cara que está chegando para trabalhar, buscar espaço e sustentar a família, como eu cheguei também. A minha posição foi a de não comentar sobre isso, porque sou pago para jogar - disse o goleiro, titular em todos os jogos de 2015 até agora.

- Quem recebe para avaliar é a comissão tecnica, a diretoria. Eu, como jogador, preferi não comentar. Uma ou outra pessoa, pela livre opinião, interpretou que esse comentário seria um descontentamento. Vocês da imprensa formam muita opinião. Aí um cara lê uma opinião, não uma declaração, e aquilo vira uma notícia. Isso começou a se espalhar. É sempre bom reforçar: a única coisa que não quis fazer foi criar polêmica, por isso eu disse que não queria comentar - acrescentou.

Aranha ainda precisa readquirir a forma física e segue sem ser relacionado. Além de Prass, ele vai concorrer com Jailson e Fábio quando estiver pronto. O clube ainda conta com o jovem Vinicius Silvestre, que alterna entre treinamentos com os profissionais e na base, embora não tenha mais idade para atuar no sub-20.

- O Fábio viveu um momento dificil, mas é jovem, tem oscilações. O Marcelo Grohe, do Grêmio, estourou e foi para a Seleção com 27 anos. O Paulo Victor virou titular do Flamengo com 28. Tem que ter paciência. Com o Vinicius é a mesma coisa, ele tem 20 anos (na verdade, 21). Todos têm qualidade. Precisam passar por um amadurecimento natural, mas têm qualidade. E não falo da boca para fora, porque não preciso fazer média com eles - analisou Prass.