icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
09/06/2014
14:12

Ainda que o amistoso contra o Fluminense possa ter clareado as ideias do técnico Cesare Prandelli em torno do time que começará a Copa do Mundo, no sábado contra a Inglaterra, o comandante da Itália não divulgou nada disso. Ao ser perguntado em coletiva de imprensa se já sabia quem iria constar de seu onze inicial diante dos ingleses, o comandante da Azzurra disse simplesmente que não queria responder a essa pergunta.

Com relação a outros assuntos, porém, ele falou - e muito. Principalmente sobre o apoio da torcida brasileira, que vem desde a Copa das Confederações, quando nomes como Pirlo e Balotelli foram aplaudidos, e no último domingo novamente, quando os torcedores do Fluminense fizeram festa para os principais nomes da Itália:

 - Aqui o povo brasileiro nos recebeu muito bem, com calor e carinho. Acho que isso é um reflexo de como jogamos. Nós queremos jogar, fazer gols e a torcida sente isso. Nosso esquema, nosso estilo de jogo faz com que o torcedor goste de nós, isso é natural.

Com relação à sensação Immobile, artilheiro do último Campeonato Italiano, Prandelli admitiu que ele segue em segundo plano em relação a Balotelli, mas avisou que ele pode acabar sendo o protagonista:

 - Só jogaremos com um entre Balotelli e Immobile e esperamos por Balotelli, que está bem, treinando duas vezes ao dia e motivado. Immobile pode ser como Schilacci em 1990, que começou como reserva e terminou como artilheiro. Ou ainda como Grosso, que ninguém queria ver como titular, mas foi para a lateral a partir do segundo jogo e virou protagonista.

Finalmente, Prandelli falou sobre o pessimismo da torcida italiana e prometeu muita luta para levar o pentacampeonato mundial para Roma:

 - A certeza que podemos dar é que estamos prontos, temos caráter. Os italianos sempre foram pessimistas no início, as pessoas acham que isso é bom, mas eu não. O que prometemos é que vamos lutar até o fim.