icons.title signature.placeholder Enrico Bruno
30/04/2014
08:30

No comando do Atlético-MG desde a última quinta-feira, Levir Culpi tem pouquíssimo tempo para tentar colocar o time do Galo na linha e passar pelo maior desafio até o momento em 2014. No próximo dia 1º, a equipe alvinegra tem o Nacional de Medellín pela frente, em duelo que vai decidir o futuro do time na Libertadores da América. Apesar de não ter tempo suficiente para implantar seu método de treinamento, o comandante teve seus primeiros trabalhos aprovado pelo grupo.

- Cada treinador tem sua metodologia, o Levir tem procurado levantar o astral da rapaziada, é um ponto que ele tem procurado enfatizar. Cobra bastante e isso é muito bom no sentido de elevar o nivel técnico de cada um. Tem tudo para dar certo aqui no Atlético - comentou o goleiro Victor.

Assim como o goleiro do Galo, o zagueiro Leonardo Silva também comentou as poucas possibilidades de mexer taticamente no time, mas ressaltou que o grupo pode dar conta do recado e absolver o que for possível do treinador.

MAIS:
> Victor relembra frustração de 2010 e evita euforia ao falar da Copa
> Em seu primeiro treino em Vespasiano, Levir comanda coletivo sem Tardelli

- O espaço é curto, a conversa é longa, mas a gente acredita que é possível (reverter o resultado contra o Nacional). Se eu disser que mudou muita coisa no time, é mentira. Mas dentro de cada um, o espírito é de que algo novo possa ser feito no Atlético. A gente espera que isso se aflore na quinta-feira - comentou o zagueiro Leonardo Silva, que assim como Levir, também chamou a atenção para a mobilização e atitude de todos as partes.

- O trabalho efetivo de campo demora um pouco mais, mas a mobilização tem de existir, independentemente da informação que o Levir nos passa. Num jogo decisivo como esse, todo mundo tem de estar mobilizado, torcida, jogadores, funcionários - completou o zagueiro.

Nesta última terça-feira, Levir aplicou seu primeiro treinamento no CT de Vespasiano. O treinador parou bastante a atividade para repetir jogadas de escanteio e cobranças de falta, além de saídas de bola. Na última partida contra o Grêmio, o treinador deixou claro que a equipe ainda precisa melhorar em muitos aspectos, mas, diante do pouco tempo, terá que ter atitude para superar o Nacional e ir às quartas de final da Liberta.