icons.title signature.placeholder Rodrigo Vessoni
12/11/2013
09:50

“Alô, alô! Planeta Terra chamando! Planeta Terra chamando! Essa é mais uma edição do diário de bordo de Lucas Silva e Silva, falando diretamente do Mundo da Lua, onde tudo pode acontecer”.

Essa era a frase do protagonista do seriado “Mundo da Lua” que, ao ligar seu gravador, vivia num mundo particular, fora dos acontecimentos de sua realidade. A analogia cabe para analisar a postura de Alexandre Pato no Corinthians.

A maneira agressiva com a qual comemorou o gol de pênalti que deu a vitória ao Timão sobre o Fluminense preocupou integrantes da diretoria e da comissão técnica, principalmente diante da moral baixa com parte da Fiel e da pressão exercida pelas organizadas.

Assim que a bola estufou as redes de Diego Cavalieri, o atacante tirou a camisa e a jogou no chão, o que já poderia demonstrar desrespeito ao uniforme do clube. Depois, ainda correu em direção ao banco e, em certo momento, colocou a mão no ouvido, como se pedisse que os torcedores que tanto o vaiaram, desta vez, gritassem pela vibração do gol.

Na saída do campo, deu declarações que seguiram na mesma linha. A primeira, direcionada à torcida.

– Um dia eles me vaiam, hoje me aplaudem – disse.

A segunda, para o técnico Tite.

– Os números mostram. Quando fui titular, fiz gols, então eu deixo que números falem por mim.

O técnico ainda o defendeu.

– Veio para fora todo entusiasmo do gol, teve ainda a alegria de olhar para a massa e pensar que, “se em algum momento fui criticado, vou ouvir a manifestação e a alegria naquele momento importante” – afirmou.

A postura, considerada distante da realidade do clube, no estilo Lucas Silva e Silva, já tinha sido explicitada na cobrança de pênalti contra o Grêmio, quando tentou dar uma cavadinha contra Dida na última cobrança, eliminando o Corinthians da Copa do Brasil. A explicação na ocasião? De novo, fora da realidade.

– Treinei assim, bati assim.

ATITUDES POLÊMICAS DE PATO

Visita ao Parque São Jorge
Em 2008, então astro do Milan (ITA), o atacante apareceu “do nada” no ginásio do Parque São Jorge para acompanhar um jogo de futsal do Corinthians. Sem seguranças, o jogador teve de sair às pressas do local, já que havia confusão entre os torcedores que buscavam foto
e autógrafo. Ele não foi com seguranças.

Show após derrota
Após a derrota do Corinthians para o Goiás, em pleno Pacaembu, Pato foi ao show da cantora Beyoncé, no estádio do Morumbi. Foto da namorada nas redes sociais causou irritação em alguns torcedores, mesmo sendo um período de folga do camisa 7 corintiano.

Pênalti diante de Dida
Corinthians e Grêmio disputam vaga na semifinal da Copa do Brasil. Após dois empates sem gols, a mesma teria de ser definida na disputa de pênaltis. Depois de nove cobranças, sendo desperdiças duas por cada equipe, foi a vez de Alexandre Pato bater. O camisa 7 tentou pegar Dida de surpresa com cavadinha, que acabou não sendo bem executada. O erro causou a eliminação do Timão, além da indignação da torcida. Ele se tornou alvo das torcidas organizadas.

Desabafos
Alvo de xingamentos por membros de torcidas organizadas, além de pedidos para que deixe o clube, Pato fez o gol contra o Fluminense, de pênalti, e partiu para o desabafo depois da pressão. O primeiro ato foi jogar a camisa no chão, o que acabou sendo visto por alguns como um ato hostil. Depois, colocou a mão no ouvido, para pedir aplausos....

– Vamos ver...

O QUE É...

MUNDO DA LUA
Foi um seriado produzido pela TV Cultura entre 1991 e 1992, de Flávio de Souza e direção de Roberto Vignati, veiculado por vários anos e um dos programas de maior audiência da rede. O protagonista de “Mundo da Lua” era Lucas Silva e Silva, garoto que ganhou um gravador do avô e, em meio aos problemas da passagem da infância à adolescência, grava histórias ilusórias de como gostaria que as coisas fossem.

LUCAS SILVA E SILVA
O garoto vivia na casa do avô, com o pai Rogério, a mãe Carolina, a irmã mais velha Juliana, além da empregada Rosa, que namorava Marcelo e conversava com o apresentador Ney Nunes. “Alô, alô! Planeta Terra chamando! Planeta Terra chamando! Esta é mais uma edição do diário de bordo de Lucas Silva e Silva, falando diretamente do Mundo da Lua, onde tudo pode acontecer!”. Assim começavam as histórias dele...