icons.title signature.placeholder Gabriela Abrunheiro
12/03/2014
13:46

Durante a paralisação da partida entre Portuguesa e Bragantino, nesta terça-feira, no Canindé, as diretorias dos dois clubes foram bastante pacientes. A partida teve de ser adiada devido à falta de energia na região do estádio da Lusa. Foram cerca de duas horas de espera para a tomada de decisão, já que interessava às duas partes que o jogo não mudasse de data.

Além do desgaste físico dos jogadores, para a Portuguesa o problema envolvia também a questão financeira, pois o estádio precisou de todos os funcionarios e funcionalidades por dois dias seguidos. São essas as explicações do presidente Ilídico Lico.

- A gente aguardou, o árbitro foi paciente, mas não teve jeito. Infelizmente, eu gostaria de ter realizado o jogo ontem (terça-feira). Já resolvia tudo, agora, além de tudo, teremos mais despesa. E a nossa situação financeira já não está fácil - declarou Lico, ao LANCE!net.

A Portuguesa vencia pelo placar mínimo de 1 a 0, com gol de Caio Mancha, quando a partida foi encerrada. Entretanto, independente do resultado, a continuação do jogo seria proveitoso também para o Bragantino.

- O interessante para a gente era jogar, por que a gente joga no sábado já. A Portuguesa só joga terça. Além disso, tem a questão da logística também. Terminando o jogo, a gente voltaria para Bragança, com o adiamento da partida ficamos em São Paulo. Tivemos que conseguir hotel e tudo mais - disse o técnico do Bragantino Marcelo Veiga, em entrevista ao LANCE!Net.

Os 45 minutos restantes do jogo serão realizado ás 15h desta quarta-feira.