icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
18/11/2014
15:55

O ex-jogador Paulo Futre fez uma grave acusação a Jesus Gil y Gil, ex-presidente do Atlético de Madrid. O eterno ídolo do Porto garantiu que na última rodada do Campeonato Espanhol de 1990/91, o dirigente, que morreu em 2004, determinou que o seu time perdesse para o Espanyol, que precisava vencer para não ser rebaixado. Em troca, o time catalão mandaria um jogador para o Colchonero.

- Quando já estávamos no hotel, em Barcelona, o presidente Jesus Gil y Gil veio se encontrar comigo e disse: "Não podemos ganhar hoje. Diz aos teus colegas para não correrem". Foi a única vez que me aconteceu uma coisa destas - disse Futre ao jornal "Record", que era o capitão do Atlético de Madrid, e garante que recusou-se a entrar em campo nessas condições:

- Nesse jogo fiquei no banco e nem sequer entrei. Os meus companheiros não se atreveram a criticá-lo. Era ele quem pagava os salários e ameaçou todos, dizendo que não pagava e que os despedia se não concordassem. Além disso, para nós, aquele jogo já não contava para nada.

Alguns jogadores do Atlético de Madrid já reagiram ao que Futre disse, e negaram as declarações do português. Santaelena disse que nunca entraria em campo para perder, enquanto Solozábal questionou bastante o que o seu antigo capitão disse.

- A história soa-me a invenção. Duvido que Gil nos tivesse proposto uma coisa destas. Só me lembro de que íamos receber um prêmio em caso de vitória contra o Espanyol - garantiu.