icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
10/07/2013
10:03

A jogadora de vôlei Natália, que ano passado foi campeã olímpica com a Seleção Brasileira, foi exposta por conta de doping, mas de maneira injusta. A ponteira foi alvo de um erro do Laboratório de Apoio ao Desenvolvimento Tecnológico (Ladetec), da UFRJ, único orgão que realiza exames antdopings no Brasil.

De acordo com as informações do jornal "O Globo", a concentração da substância 16-OH Prednisolone estava abaixo do limite e, portanto, dentro da lei, apesar da acusação de que a quantidade ultrapassava o permitido. O relator Luiz Correa Meyer foi o responsável por apontar o erro, baseado em laudo do próprio laboratório.

Após ser flagrada de forma equivocada, Natália chegou a cumprir 30 dias de suspensão preventiva e ainda seria julgada. Ela recebeu um pedido de desculpas do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD).

À época, Natália aceitou o exame sem exigir contraprova e swe defendeu revelando que poderia se tratar dos medicamentos para tratar um problemar pulmonar (asma).

O erro preocupa porque a Ladatecterá as licenças para realizar as análises na Copa do Mundo de 2014 e na Olimpíada de 2016, ambas no Brasil.

A jogadora de vôlei Natália, que ano passado foi campeã olímpica com a Seleção Brasileira, foi exposta por conta de doping, mas de maneira injusta. A ponteira foi alvo de um erro do Laboratório de Apoio ao Desenvolvimento Tecnológico (Ladetec), da UFRJ, único orgão que realiza exames antdopings no Brasil.

De acordo com as informações do jornal "O Globo", a concentração da substância 16-OH Prednisolone estava abaixo do limite e, portanto, dentro da lei, apesar da acusação de que a quantidade ultrapassava o permitido. O relator Luiz Correa Meyer foi o responsável por apontar o erro, baseado em laudo do próprio laboratório.

Após ser flagrada de forma equivocada, Natália chegou a cumprir 30 dias de suspensão preventiva e ainda seria julgada. Ela recebeu um pedido de desculpas do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD).

À época, Natália aceitou o exame sem exigir contraprova e swe defendeu revelando que poderia se tratar dos medicamentos para tratar um problemar pulmonar (asma).

O erro preocupa porque a Ladatecterá as licenças para realizar as análises na Copa do Mundo de 2014 e na Olimpíada de 2016, ambas no Brasil.