icons.title signature.placeholder Guilherme Borini
02/12/2013
16:38

Mesmo longe da sua melhor fase, o futebol de Campinas conseguiu um feito histórico em 2013. A campanha da Ponte Preta na Copa Sul-Americana já rendeu a primeira final internacional para clubes da cidade. A Macaca eliminou Criciúma, Deportivo Pasto (COL), Vélez Sarsfield (ARG) e o São Paulo para chegar à decisão contra o Lanús (ARG), mas, indiretamente, venceu também seu arquirrival Guarani.

Tradicional no futebol, sobretudo na década de 70 e 80, a cidade já tinha chegado perto do feito atual da Macaca. com o Bugre. Em 1979, um ano após a conquista do Campeonato Brasileiro - maior título dos clubes campineiros até hoje -, o Guarani disputou a Libertadores e chegou até o triangular semifinal. A equipe fez boa campanha na primeira fase e caiu na chave decisiva com o Palestino (CHI) e Olímpia (PAR), mas não resistiu e foi eliminado com três empates e uma derrota.

O Guarani soma também outras duas participações na Libertadores (1987 e 1988) e uma na extinta Mercosul, em 1995. Mas nunca com tanto sucesso como a Macaca nesta edição da Sul-Americana. O Bugre, no entanto, ostenta o título Brasileiro de 1978, contra os cinco vice-campeonatos paulista da Ponte, que agora tem a chance de "estrear" a sala de troféus com uma conquista internacional.

No entanto, a cidade de Campinas não poderá assistir de perto a decisão da Sul-Americana. Isso porquê o estádio Moisés Lucarelli não comporta 40 mil espectadores, como exige o regulamento da Conmebol. A Macaca mandará o primeiro jogo da final diante do Lanús, quarta-feira, às 21h50, no Pacaembu.