icons.title signature.placeholder Thiago Correia
07/11/2014
08:11

O Manchester City fez contratações pontuais para a temporada, e o time é quase o mesmo que venceu o Campeonato Inglês. Mas se alguém chegou e já conseguiu ser titular, e ganhar o respeito da torcida, esse alguém foi Fernando. O volante brasileiro veio do Porto ofuscado pelo badalado e caro Mangala, mas logo conseguiu barrar o seu “xará” Fernandinho, que defendeu o Brasil na Copa do Mundo.

Ídolo no Dragão, onde ganhou praticamente tudo, o “Polvo” lembra do time português com carinho. Porém, garante que agora o Porto está apenas no coração e revela os motivos de ter se transferido.

– Uma oportunidade de ir para uma liga mais forte, mais competitiva, e aqui é um baita clube. Claro que sou muito grato pelo Porto, tenho carinho, mas consegui muita coisa lá, e chega o fim desta etapa. Consegui tudo o que queria ali. Estou contente, um novo desafio, tudo que quero agora é ganhar a Liga Inglesa – disse Fernando ao L!Net, para depois lembrar com carinho do Porto:

– Cheguei em Portugal muito novo, aprendi muitas coisas ali, o Porto me deu oportunidade, ganhei títulos, fiz uma história lá, posso ir a Portugal e receber carinho e respeito das pessoas, dos clubes. Pude deixar a minha marca. Sempre vou ter o carinho e acompanhar o Porto e torcer para ir bem. Mas é a minha vida profissional que segue e o clube fica no coração.

Fernando é o principal destaque em campanha de natal da loja do City (Foto: Reprodução)

No Porto, notabilizou-se pela incrível resistência, pelo poder de desarme e pela qualidade no passe. Enquanto astros como Hulk, Falcao García, João Moutinho, Raul Meireles e Lucho ficavam com os holofotes, Fernando carregava o piano e virou ídolo da torcida.

Agora, ele tem a oportunidade de jogar com um ídolo seu. Desde a época de Porto, sempre admirou Yaya Touré. E praticamente se derrete ao falar do marfinense:

– Touré é um grande jogador. Quando começa a jogar do lado vê a qualidade dele, é sempre bom jogar ao lado de grandes jogadores. Dá até para aprender um pouco, tem falado bastante comigo. Jogar com ele é uma realização.

Fernando está com 27 anos (Foto: Divulgação/Fernando Reges Oficial - Facebook)

Sobre o Campeonato Inglês, Fernando já vê várias diferenças. Exalta o dinamismo do futebol no país. Em relação à disputa, coloca os gigantes Arsenal, Liverpool, Manchester United e Chelsea no páreo.

- Todos esses times podem chegar forte, vários disputam o título. Quem está na frente pode perder pontos, e quem está atrás pode passar. O Chelsea está bem, na ponta, mas os outros podem chegar. A gente tem que manter o trabalho e chegar lá. Aqui se joga com Liverpool, Arsenal, equipes muito fortes, e todas podem tirar pontos de todos. Temos que lutar para ficar na parte de cima.

Fernando tem uma verdadeira coleção de conquistas pelo Porto (Foto: Martin Buerau/AFP)

Quase na Copa
Fernando se naturalizou português este ano, mas a burocracia o impediu de disputar a Copa. Ele conseguiu a sua documentação para ser oficialmente um cidadão da Terrinha, mas como quando defendeu o Brasil Sub-20 ainda não era, não conseguiu a liberação da Fifa.

– Não ia para a Seleção Brasileira, e então abriu uma porta para mim na seleção portuguesa, e eu queria fazer parte disso, retribuir aquilo que me deram, pelos sete anos que estive lá. E depois a pessoa fica um pouco triste. Mas a vida continua, segue trabalhando, agora bola para frente - disse Fernando, que ainda tem a Seleção Brasileira em mente:

- Infelizmente acabei perdendo a Copa. Hoje estou no clube aqui, estou muito focado, contente, a minha prioridade é aqui, tenho a expectativa. E se surgir a oportunidade, vou receber, mas tenho que focar aqui.

Fernando saiu ainda jovem do Vila Nova (Foto: Divulgação/Fernando Reges Oficial - Facebook)

O futebol brasileiro é motivo de preocupação para Fernando. O volante lembra que o material humano no país é muito rico, mas que é preciso existir uma organização fora dele.

- Eu acompanho o futebol brasileiro. Sendo brasileiro, espero que evolua, que os bons jogadores apareçam. Agora é preciso que o pessoal reveja tudo bem, procure renovar para que o futebol brasileiro possa acompanhar o futebol europeu. O pessoal aqui de fora está bem evoluído e o brasileiro está ficando um pouco para trás. A gente sabe da qualidade dos jogadores, mas precisamos ser mais profissionais, crescer no plano tático, que o pessoal da CBF evolua e possa mudar o que acontece no futebol brasileiro - concluiu.

O Manchester City volta a entrar em campo neste sábado pelo Campeonato Inglês. Fora de casa, a equipe enfrenta o Queens Park Rangers.