icons.title signature.placeholder Thiago Ferri
17/12/2013
19:46

Maxsuel Santana Pereira, Maurício de Oliveira Sobral e Rafael Clini Diana, três torcedores que brigaram com policiais militares no jogo entre Palmeiras e Botafogo, dia 4 de novembro de 2012, em Araraquara (SP), tiveram pedido de prisão temporária decretado nesta terça-feira. Os dois primeiros já se apresentaram à Polícia Civil.

A investigação acontece desde o fim do ano passado, e está a cargo da Decradi (Delegacia de Crimes Raciais e Delitos de Intolerância). O trio é suspeito de formação de quadrilha ou bando, lesão corporal dolosa e provocação de tumulto.

Eles foram reconhecidos por fotografias do banco de dados da delegacia. Foram realizadas buscas domiciliares na segunda-feira, mas eles não foram encontrados na ocasião. Com isso, a polícia apreendeu roupas e objetos com símbolos da organizada Mancha Alviverde e do Palmeiras, luva de boxe, réplicas de arma de fogo e duas CPUs.

De acordo com a investigação, os três torcedores fazem parte “da linha de frente do confronto de torcidas” e mantêm amizade com membros da diretoria da Mancha.

O confronto no estádio da Fonte Luminosa ocorreu quando o time já cumpria punição por briga de torcida. Com mais quatro jogos de pena, o clube iniciou a Série B fora de casa.

* Atualizado às 20h47