icons.title signature.placeholder Leo Burlá e Michel Castellar
21/07/2014
17:22

Uma opção política. Assim Marco Antônio Teixeira, ex-secretário-geral da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), entende a escolha de Dunga para comandar a Seleção Brasileira.

Para o tio de Ricardo Teixeira, antigo presidente da entidade, a dupla Marco Polo Del Nero e José Maria Marin quer neutralizar os ataques do deputado federal Romário.

Em conversa com o LANCE!Net, Teixeira questionou a rapidez com que o processo foi conduzido e lembrou o cenário desfavorável que a CBF vive em Brasília.

- Por que tanta rapidez na escolha? A não ser que seja para neutralizar o Romário, que está liderando o movimento para que se investigue a CBF lá em Brasília, e que tem uma relação boa com o Dunga. Até por que ele (Romário) já deu uma cacetada no Gilmar assim que ele foi anunciado como novo coordenador - disse Teixeira.

CONFIRA TAMBÉM


 > Reunião do Bom Senso com Dilma tem presença de dirigentes

 > Dunga pode 'ressuscitar' comissão de Felipão
 > Fifa anuncia data de decisão sobre Qatar e Rússia


Na Câmara dos Deputados, Romário já articula a criação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar a CBF. Presidente da casa, Henrique Alves já deu pistas de que a CPI deve sair ainda este ano.

- Eles (Dunga e Romário) eram muito parceiros em 94. A relação entre o Gilmar e o Romário, por sua vez, passou por problemas quando trabalharam juntos no Flamengo - enfatizou.

O anúncio oficial do novo técnico da Seleção Brasileira será na próxima terça-feira, 11h, na sede da entidade, na Barra da Tijuca.