icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
20/11/2013
17:06

A vida do velocista Oscar Pistorius foi do céu ao inferno em menos de um ano. Primeiro atleta biamputado a disputar os Jogos Olímpicos no atletismo - foi em Londres-2012 -, o sul-africano saiu das páginas esportivas para as páginas policiais dos jornais depois que, no dia 14 de fevereiro deste ano, foi acusado de assassinar a tiros a sua namorada, a modelo Reeva Steenkamp. Agora, nesta quarta-feira, Pistorius viu surgir duas novas acusações por uso de armas de fogo na África do Sul.

Segundo o jornal inglês "The Guardian", o sul-africano será indiciado por crimes supostamente ocorridos antes do assassinato de Steenkamp. De acordo com as investigações, o velocista, dentro de um carro, teria realizado um disparo para o alto pelo teto solar do veículo. O fato teria acontecido durante uma viagem com amigos, em 2012.

O outro episódio também envolveria um disparo por arma de fogo. Ele teria ocorrido de forma acidental dentro de um restaurante em Joanesburgo quando Pistorius admirava a arma.

Dono de quatro medalhas de ouro em Jogos Paralímpicos, o sul-africano responde em liberdade à acusação de assassinato da namorada. Ele pagou fiança no valor de 78 mil euros (cerca de R$ 233 mil). O julgamento de Pistorius está marcado para o dia 3 de março de 2014. O velocista alega, em sua defesa, que atirou contra a porta do banheiro pois achou que sua casa estava sendo invadida por ladrões. A promotoria, no entanto, afirma que o sul-africano premeditou a morte da modelo.