icons.title signature.placeholder RADAR/LANCEPRESS!
13/11/2014
16:58

A segunda etapa da regata Cidade do Cabo/Abu Dhabi da Volvo Ocean Race contará com "risco mínimo" de ações de piratas. É o que garante Knut Frostad, CEO do evento.

- Se alguma situação mudar em relação aos riscos de ações de piratas na próxima etapa, nós podemos mudar os planos. A segurança dos velejadores é essencial.Vamos, inclusive, liberar a atualização constante do posicionamento dos barcos e a posição correta. Certamente, a perna de número dois será tão emocionante quanto a primeira.

A Dryad Maritime, empresa de segurança responsável pela etapa, garantiu que o nível de pirataria vem sendo reduzido ano a ano. Alguns fatores reduziram os níveis de pirataria em todo o mundo, como o aumento do suporte de segurança na água, mais guardas armados a bordo de navios e o cumprimento dos proprietários de embarcações às medidas de segurança. Ian Millen (diretor de operações da empresa), no entanto, afirma que o risco sempre estará presente.

- É impossível, é claro, eliminar o risco por completo, mas nunca seremos complacentes com isso.

A etapa deverá ter duração de 20 dias, no mínimo. A flotilha deixa a África do Sul nesta quarta-feira para um percurso de 11.343 km até os Emirados Árabes. Na última etapa, o barco de Abu Dhabi acabou levando o título, seguido da China e da Holanda.