icons.title signature.placeholder TÊNIS NEWS
14/02/2015
11:44

Número 1 do Brasil e 65 do mundo, Thomaz Bellucci aproveitou sua derrota na estreia em São Paulo para já iniciar os treinos na quinta-feira no Rio de Janeiro para o Rio Open, torneio ATP 500 que começa na segunda.

Em bate-papo com o Tênis News, o paulista concordou com Rafael Nadal ao ser perguntado das condições extremas de jogo no calor de 40º C que tem feito na capital carioca nos últimos dias: "É, quem for jogar entre 11h, 12h, 13h vai sofrer bastante, será um jogo mais físico do que técnico, quem tiver mais bem preparado de físico levará vantagem. Pior do que isso aqui não existe", disse Bellucci que relatou condições semelhantes ao do ano passado no torneio: "Não há diferença, o torneio é o mesmo. Diferença é que durante o dia com o sol a quadra fica mais seca e o jogo é mais rápido, condições praticamente as mesmas".

 

Bellucci voltou a trabalhar com o técnico gaúcho João Zwetsch - pelo menos até o fim de março no torneio de Miami - com o qual formou parceria de dois anos até 2010. Mais maduro, Thomaz ressaltou que o foco é se manter mais estável nas partidas.


"Mesmo nos anos que não trabalhei com o João sempre tive um contato próximo com ele dentro da Copa Davis, nunca perdemos o contato , o trabalho hoje é ainda melhor, eu sou um cara mais maduro, o Thomaz ainda mais experiente como treinador , isso é bom pro nosso trabalho que só está começando, fizemos um bom resultado já esse ano e tem muita coisa boa pela frente. Temos trabalhado e conversado da maneira que devo encarar o jogo mentalmente, nos momentos bons e ruins , maneira de lidar com o jogo tem que ser basicamente a mesma, não posso me abalar e nem me frustrar jogando bem ou mal, ser um cara mais estável dentro do jogo", apontou.

 

A parte física, o qual pecou em alguns momentos, segue sempre em evidência e Bellucci se diz confiante por ter chegado cedo no Rio para uma boa campanha "Chegamos aqui quatro, cinco dias antes para se adaptar ao clima, condições . pra não me preocupar muito com o desgaste durante o jogo. O ponto físico é algo que hoje é levado muito em consideração, faz uma diferença brutal no jogo, se o cara tá cansado no jogo, tecnicamente seu nível cai muito também . Estamos tentando trabalhar que meu físico não atrapalhe a parte técnica . Quando estou bem fisicamente, tecnicamente acabo jogando melhor."