icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
19/07/2013
14:27

Para o Atlético-MG, jogar no Independência, até por conta da derrota no primeiro jogo da final da Libertadores, para o Olimpia, seria o ideal. Mas, sem o Horto, o Mineirão se apresenta como um palco tão eficiente para pressionar o time paraguaio. Nesta linha de pensamento está o volante Pierre, que lembrou da capacidade do Gigante da Pampulha, bem maior em relação à casa do Galo.

- Acho que a equipe que pensa em levantar a Libertadores não tem que escolher estádio não. É pensar no lado positivo, triplo de torcida (23 mil contra 64 mil) no Mineirão, vai ser um caldeirão e a torcida vai estar junto com a gente. A gente vai fazer de tudo para dar a volta por cima - afirmou o volante.

Para o segundo jogo da decisão da Libertadores, há novas regras de competitividade. O gol fora de casa não tem o mesmo peso das outras fases. E, em caso de igualdade no placar agregado, há 30 minutos de prorrogação antes da necessidade e haver disputa de pênaltis. Para Pierre, a primeira mudança é positiva também.

- Nós somos capazes, temos condições de reverter essa situação. É um fator positivo, porque se tomar um gol, não terá o desespero de fazer quatro. Vamos trabalhar bastante nesses dias aí para fazer um grande jogo - completou.

Para o Atlético-MG, jogar no Independência, até por conta da derrota no primeiro jogo da final da Libertadores, para o Olimpia, seria o ideal. Mas, sem o Horto, o Mineirão se apresenta como um palco tão eficiente para pressionar o time paraguaio. Nesta linha de pensamento está o volante Pierre, que lembrou da capacidade do Gigante da Pampulha, bem maior em relação à casa do Galo.

- Acho que a equipe que pensa em levantar a Libertadores não tem que escolher estádio não. É pensar no lado positivo, triplo de torcida (23 mil contra 64 mil) no Mineirão, vai ser um caldeirão e a torcida vai estar junto com a gente. A gente vai fazer de tudo para dar a volta por cima - afirmou o volante.

Para o segundo jogo da decisão da Libertadores, há novas regras de competitividade. O gol fora de casa não tem o mesmo peso das outras fases. E, em caso de igualdade no placar agregado, há 30 minutos de prorrogação antes da necessidade e haver disputa de pênaltis. Para Pierre, a primeira mudança é positiva também.

- Nós somos capazes, temos condições de reverter essa situação. É um fator positivo, porque se tomar um gol, não terá o desespero de fazer quatro. Vamos trabalhar bastante nesses dias aí para fazer um grande jogo - completou.