icons.title signature.placeholder Luis Fernando Coutinho
05/12/2013
16:36

Depois da chance pelo cinturão dos pesados em maio, no UFC 160, onde foi derrotado pelo atual campeão Cain Velásquez, Antônio Pezão começará nesta sexta a dar seus passos de volta rumo ao topo da categoria. No UFC Fight Night no Combate: Hunt x Silva, que acontece em Brisbane, na Austrália, o brasileiro enfrentará Mark Hunt para fazer as pazes com a vitória. O paraíbano fará a luta principal do show contra o conhecido neozelandês, que terá o apoio da torcida. Apesar de já terem treinado juntos no passado, ambos tiveram de aceitar a proposta do Ultimate e agora ficarão frente a frente no octógono.

Em entrevista ao LANCE!Net, Pezão falou sobre o desafio contra Hunt. As últimas sete lutas do brasileiro terminaram com nocautes, seja a favor ou contra o peso-pesado. E ele não espera nada diferente disso para o confronto desta sexta.

- Acredito que essa luta não chega até o final. Somos trocadores e não gostamos de deixar o resultado nas mãos dos juízes. Não queremos isso, mas pode acontecer. Poucas as minhas lutas foram para a decisão. Vim preparado para fazer cinco rounds, me preparei bem, mas a ideia é evitar isso. E até pelo meu estilo e do Hunt de trocar mão, a luta deve acabar logo. Esses juízes são perigosos. Eles assistem outra luta. Nunca sabemos o que se passa na cabeça deles. É melhor resolver antes - disse o lutador, em conversa por telefone com o L!Net.

Antônio Silva ainda aproveitou para analisar o jogo de Mark Hunt. Na opinião de Pezão, se o jogo na luta em pé é perigoso para os dois lados, o brasileiro afirma que seu jogo de jiu-jitsu pode sobressair.

- A arma do Hunt é a parte dele em pé. Ele é um ótimo striker, tem força nos golpes. Ele usa 100% da força que tem quando bate. Esse é um ponto forte dele. Meu ponto forte também é em pé. Tenho poder de nocaute, assim como ele. Mas o que sobressai é minha parte de chão. Minha parte de jiu-jitsu é uma arma a mais - declarou.

Confira um bate-bola com Antônio Pezão
Você acha o Hunt um adversário bom para te colocar de volta no bolo de cima da categoria dos pesados?
Ele é um atleta duro, com certeza. Todos gostam dele dentro do UFC. Estamos fazendo a luta na casa dele, já vi o carinho que todos têm por ele. É um atleta duro e respeita os oponentes. Certamente uma vitória vai me colocar de volta contra grandes atletas, para um dia disputar o cinturão novamente.

Como será lutar no mesmo evento do Caio Magalhães, seu amigo e companheiro de treinos?
O Caião é uma figura. Aprendi a gostar dele. Ele é um crianção... A gente brinca muito. O treino chega a ser uma diversão, um trabalho duro envolvido com alegria. Ele é durissimo. Cada dia que passa, ele vem melhorando mais e mais. É um atleta que está em dia. Gosto dele, assim como o Glover. Estamos preparadose vamos buscar a vitória. Eu, o Caio, o Shogun e a Bethe Correia... Somos os brasileiros do show e daremos nosso melhor.

Mande uma mensagem para os torcedores brasileiros...
Quero agradecer o carinho de todos, as mensagens de todos nas redes sociais... Podem esperar um Pezão com muita vontade de vitória, muita gana. Quero fazer com que o povo brasileiro tenha essa felicidade.

O UFC Fight Night no Combate: Hunt x Silva acontece nesta sexta, a partir das 21h30 com transmissão ao vivo pelo canal Combate.

Confira as lutas do show
CARD PRINCIPAL
Mark Hunt x Antônio Pezão
Maurício Shogun x James Te Huna
Ryan Bader x Anthony Perosh
Pat Barry x Soa Palelei
Dylan Andrews x Clint Hester
Julie Kedzie x Bethe Pitbull
CARD PRELIMINAR
Takeya Mizugaki x Nam Phan
Nick Ring x Caio Monstro
Richie Vaculik x Justin Scoggins
Bruno Carioca x Krzysztof Jotko
Ben Wall x Alex Garcia