icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
23/04/2014
13:22

De jogador do modesto Penapolense no Paulistão a titular do Corinthians no Brasileirão. Em poucas semanas, a vida de Petros mudou. O meia, destaque do duelo contra o Atlético-MG no último domingo, relatou que já tem recebido assédio do torcedor na rua.

- Foi absurda a mudança. O mais importante é eu manter minha humildade, que me trouxe até aqui. Não posso deixar que isso me afete. Agora saio na rua e não consigo mais comer, ir ao banco... Sou reconhecido a todo momento - disse o corintiano, em entrevista coletiva no CT Joaquim Grava, nesta quarta-feira.

- Claro que não sou um grande ídolo, como Guerrero, Romarinho, Elias... Mas para mim é gratificante sair e ser reconhecido, o torcedor chegar e pedir foto, um autógrafo, isso faz parte da vida. O Brasil é movido pelo futebol, estou muito feliz - completou.

Como mostrou o LANCE!Net na última terça, Petros surpreendeu a todos no Corinthians, principalmente pela forte personalidade. Esse foi um dos motivos que fizeram Mano Menezes não ter receio em promover sua estreia logo como titular, preterindo o experiente Danilo.

Apesar de se dizer quieto e tímido, o camisa 40 do Timão mostrou desenvoltura na coletiva e brincou com a origem de seu nome, ao ser questionado sobre um repórter.

- É feio, eu sei (risos). Meus pais acho que estavam brigados (risos). Meu pai é Petrônio, também feio. O apelido dele Petros e acabou sendo o meu nome. Ele queria Petrônio Segundo, imagine, seria bem pior. Mas minha mãe teve um segundo de consciência, então decidiu colocar o apelido. Graças a Deus, não foi Petrônio Segundo (risos) - contou o jogador do Corinthians.