icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
16/11/2013
11:33

Nesta semana, após empatar coma Portuguesa, o Botafogo saiu do G4 pela primeira vez em 29 rodadas do Campeonato Brasileiro. Em um momento em que a competição se aproxima, o time caiu vertiginosamente de rendimento, causando a revolta de alguns membros de torcidas organizadas, que pressionaram jogadores e comissão técnica.

Para tentar entender e ter uma ideia do que pensa o torcedor botafoguense sobre os motivos e as responsabilidades pela queda de produção e perda de força do time na reta de chegada da temporada, o LANCE!Net, na última quinta-feira, realizou uma enquete com algumas opções para que o torcedor pudesse votar. Com a pergunta: De quem é a culpa pela má fase do Botafogo no segundo turno do Brasileirão? A pesquisa colocou como opções a diretoria do clube, o técnico Oswaldo de Oliveira, os próprios jogadores, e a torcida. Em algumas horas que ficou no ar para a votação, foram computados 2.256 votos, com os seguintes resultados:

CONFIRA AS OPÇÕES E RESULTADOS DA VOTAÇÃO:

De quem é a culpa pela má fase do Botafogo no segundo turno do Brasileirão?

Da diretoria. Vendeu jogadores fundamentais 49,9% (1126)

Da torcida, que não compareceu em peso quando o time estava bem 15,9% (359)

De Oswaldo de Oliveira. Passou a escolher os jogadores errados 10,1% (228)

Dos jogadores. São eles que entram em campo e resolvem 24% (543)

OSWALDO AGRADECE RECONHECIMENTO

Muito criticado e xingado por alguns torcedores nos protestos dos últimos dias, o técnico Oswaldo de Oliveira, na sexta-feira, em entrevista coletiva concedida no Engenhão, ficou satisfeito ao ser informado do resultado da pesquisa do L!Net, que dentre todas opções, colocou o nome dele, com 10% da responsabilidade pela atual fase da equipe, a menor votação entre todas as possibilidades para votos. Ele fez uma avaliação sobre o assunto:

- O reconhecimento que tenho tido na minha vida fora do Botafogo, é muito grande. As pessoas reconhecem que com a projeção de alguns jogadores jovens, o clube fez caixa, conseguiu ajudar na parte financeira; o desempenho técnico da equipe, a captação de jogadores desacreditados em outros clubes e que chegaram aqui e tiveram performance, em princípio, acima do presumido. As pessoas não julgariam, por exemplo, que jogadores como Hyuri, Elias, Edilson, Bolívar e Julio Cesar fossem ter a performance e formar, durante um bom tempo, um dos melhores times do Brasil e o melhor time do Rio de Janeiro - destacou Oswaldo.

Campeão estadual de 2013, em que venceu os dois turnos, levando o título sem a necessidade de disputar as finais, o treinador fez questão de dividir os méritos com sua comissão técnica, funcionários do clube e sua diretoria.

- Fico feliz em saber que esta pesquisa reconhece o trabalho todo aqui do Botafogo, não é só o meu trabalho. Atribuo isso a toda a comissão técnica, o staff, a diretoria, que tem se empenhado muito para manter seus compromissos, para fazer com que as coisas aconteçam de uma forma normal, em um ano em que aconteceram muitas anormalidades. Um ano em que perdemos o Engenhão, jogadores, ficamos com salários atrasados, em que não pudemos fazer a intertemporada porque não havia dinheiro, emfim, uma porção de coisas, que no final, as pessoas reconhecem. Embora, o quinto lugar no Campeonato Brasileiro, que é reversível - disse Oswaldo, destacando, a importância de se respeitar quem não enxerga os resultados positivos do trabalho:

- Mas muitas pessoas tem outros interesses e pontos de vista diferentes. Se você for a igreja domingo de manhã vai encontrar flamenguistas, botafoguenses, vascaínos e tricolores e se for em Bangu I (presídio da zona norte do Rio), você também vai encontrar. Então, temos que admitir que as pessoas raciocinem e pensem de forma diferente.