icons.title signature.placeholder Luis Fernando Ramos
19/02/2015
16:09

Quando a escocesa Susie Wolff acelerou o carro da Williams nos boxes do circuito de Silverstone no primeiro treino livre do GP da Inglaterra do ano passado, a Fórmula 1 encerrou um hiato de 22 anos sem a participação de mulheres em sessões oficiais da categoria. Acabou andando apenas uma volta, por conta de um problema mecânico. Neste ano, assumindo o papel de piloto reserva e com participação garantida em dois testes e em duas sessões de treinos livres, Wolff parece ter dado mais um passo para eventualmente participar de uma corrida.

Mas há percalços. Nesta quinta feira, ficou a seu cargo o trabalho de desenvolvimento do carro da Williams no circuito de Barcelona. Embora tenha completado uma boa quilometragem, 86 voltas no total, a escocesa acabou se envolvendo num acidente com a Sauber de Felipe Nasr. Os carros se tocaram quando ele, numa volta rápida, fazia uma ultrapassagem. Ela se desculpou com o brasileiro, afirmando que não o havia visto.

A presença de Susie Wolff na Williams está totalmente ligada a seu marido Toto Wolff, com quem é casada desde 2011. O austríaco é sócio da equipe inglesa e também atua como chefe da Mercedes - que fornece motores para o time inglês. Aos 32 anos de idade, a escocesa acumula boa experiência, tendo feito sete temporadas na DTM, o campeonato de turismo alemão. Mas nunca conseguiu resultados que justificassem sua presença num time de F-1. Ela conseguiu pontuar apenas em uma das sete temporadas, com dois sétimos lugares.

Apesar de ainda gerar desconfiança - não pelo gênero, mas pelo currículo - Wolff se mostra confiante. Quando conversou com o LANCE!Net em Silverstone, no ano passado, afirmou que poderia participar de uma corrida se fosse chamada.

- Me sinto pronta. Eu não estaria aqui se eu achasse que posso fazer isso. Mas quero mostrar que posso, não apenas falar, pois acho que ações são mais contundentes que palavras - garantiu.

Embora o acidente desta quinta em Barcelona não ajude a elevar sua imagem, Wolff terá outras oportunidades neste ano. Em 2014, no treino livre para o GP da Alemanha, deixou boa impressão marcando um tempo competitivo, a apenas alguns centésimos de segundo da marca de Felipe Massa com o mesmo carro.

Mesmo que não consiga ascender ao posto de titular, Wolff espera que sua presença inspire outras mulheres a seguir carreira no automobilismo.

- Todas as meninas que assistem a F-1 não vêem nenhuma mulher em ação que possa ser um modelo de inspiração para que pelo menos se interessem em correr em kart e tenham a chance de desenvolver seu potencial desde cedo.

CARREIRA
2002 - F-Renault Inglesa - 18º lugar
2003 - F-Renault Inglesa - 9º lugar
2004 - F-Renault Inglesa - 5º lugar
2005 - F-3 Inglesa - 18º lugar
2006 - DTM - 17º lugar
2007 - DTM - 20º lugar
2008 - DTM - 18º lugar
2009 - DTM - 16º lugar
2010 - DTM - 13º lugar
2011 - DTM - 18º lugar
2012 - DTM - 22º lugar
2013 - F-1 - piloto de testes
2014 - F-1 - piloto de testes
2015 - F-1 - piloto reserva