icons.title signature.placeholder Rodrigo Vessoni
07/11/2014
07:01

Seis partidas para disputar, ao menos 12 pontos para conquistar e quase R$ 20 milhões em jogo que poderão entrar (ou não) nos cofres do clube. É dessa forma que se pode resumir a reta final do Campeonato Brasileiro para o Corinthians, que segue na busca por uma das vagas brasileiras na Copa Libertadores de 2015.

O montante acima está relacionado às quatro rendas que seriam obtidas pelo Timão em seu novo estádio no torneio sul-americano, sendo um jogo pela primeira fase (a pré-Libertadores) e outros três pela fase de grupos – dificilmente conseguirá ir direto para a fase de grupos, já que não deve ser primeiro nem segundo colocado no Nacional.

O clube trabalha com uma bilheteria mínima de R$ 3 milhões por jogo, mas sabe que é possível arrecadar até R$ 4 milhões com quase 50 mil ingressos vendidos. Contra o Figueirense, por exemplo, com apenas 36.123 pagantes, a renda foi de R$ 3 milhões. Além dos R$ 16 milhões projetados com a bilheteria, o Corinthians ainda receberia US$ 250 mil (R$ 600 mil) da Conmebol pelo jogo da primeira fase e outros US$ 900 mil (R$ 2,3 milhões) pelas três partidas que faria como mandante na fase de grupos, total de quase R$ 20 milhões.

Isso sem falar no impacto que a participação na Libertadores traria aos camarotes do novo estádio, já que despertaria mais intenção de empresas e/ou interessados em alugar os espaços. Algo que, até agora, não aconteceu como deveria.

Em resumo: disputar o torneio sul-americano para o Alvinegro não é apenas o único objetivo que lhe resta, mas uma necessidade. Afinal, o dinheiro que renderia a participação do clube será fundamental para o pagamento da primeira parcela da Arena, com vencimento em junho, com valor de cerca de R$ 100 milhões.

A 'LIBERTADORE$'

Bilheteria: O Corinthians trabalha com uma bilheteria mínima de R$ 3 milhões/jogo na Libertadores (disputaria um pela 1 fase e outros três na fase de grupos). Mas a diretoria sabe que é possível obter R$ 4 milhões ou mais com a venda dos quase 50 mil bilhetes. Na inauguração, por exemplo, com apenas 36.123 pagantes no jogo contra o Figueirense, a renda foi de R$ 3 milhões. Vale lembrar que, naquele dia, cerca de cinco mil pagaram o menor valor de ingresso na arquibancada provisória.

Cotas de TV: Além dos R$ 16 milhões projetados com a bilheteria, o clube ainda receberia US$ 250 mil (R$ 585 mil) da Conmebol pelo jogo da primeira fase e US$ 900 mil (R$ 2,1 milhões) pelos três como mandante na fase de grupos, em caso de classificação, total de quase R$ 20 milhões.

Camarotes: A participação na competição ainda aumentaria o interesse de torcedores e das empresas pelos 89 camarotes do estádio.