icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
03/07/2014
16:57


Goleiro campeão mundial com a Seleção Brasileira em 2002, Marcos lembrou das conversas que teve com Carlos Alberto Parreira, técnico do Brasil na Copa do Mundo de 2006, e Jorginho, auxiliar de Dunga, comandante em 2010. Com ambos, a intenção era convocar o então palmeirense para disputar os dois Mundiais. Suas lesões, porém, o atrapalharam, a ponto do ex-camisa 12 avisar que não teria mais condições de atuar.

- Comecei 2006 muito bem, o Parreira me ligando direto, contando comigo, mas depois que eu me machuquei perdi a oportunidade. Em 2010 também. O Jorginho me ligou, a gente estava em Atibaia (SP), perguntando o que eu achava, e eu falei que meu tempo de Seleção já era - contou, em entrevista para a TV Palmeiras.

Em 2006, Marcos sofreu uma lesão na coxa direita que o tirou dos gramados por cinco meses, e quatro anos depois começou a ter os seguidos problemas físicos, que ajudaram na decisão de anunciar a aposentadoria, no começo de 2012. Às vésperas da Copa na África do Sul, o ídolo palmeirense iniciou um revezamento na meta alviverde com goleiros mais jovens, como Deola.

- Talvez eu pudesse ter participado de três Copas do Mundo, mas depois que tive um monte de contusão, é problema ir para lá, esperar o jogador de 2002 e você não ter mais condição. Talvez em 2006 eu estivesse no meu auge, legal para ir, mas estava machucado. Mas 2010 meu tempo já tinha passado, tinha muito problema, então não ia ajudar em nada - acrescentou.

Pentacampeão, Marcos tem sete jogos com a Seleção na Copa do Mundo - é o quinto goleiro que mais defendeu a equipe nacional no torneio. Pelo Verdão, foram 532 partidas e 12 títulos.