icons.title signature.placeholder Daniel Marques e Fellipe Lucena
12/06/2014
20:39

Só o japonês Yuichi Nishimura, árbitro da vitória da Seleção Brasileira sobre a Croácia, por 3 a 1, nesta quinta-feira, foi capaz de diminuir o clima de festa na Sociedade Amigos da Dalmácia-Croácia, reduto de croatas e descendentes na Rua Tobias Barreto, que fica na Mooca, em São Paulo.

Famílias completas se divertiram com refrigerante, cerveja brasileira e cardápio croata - destaque para um bolinho que mistura as carnes de porco, boi e cordeiro, o cevapcici. Para entrar, era preciso pagar R$ 30. Os "Penetrovics" vibraram.

- Muitos aqui são filhos e netos de croatas, então torcem para a Croácia ganhar. Mas há muitos agregados também, que torcem para o Brasil. A gente fala que são os penetras da festa, os Penetrovics - gargalhou Paulo Olaia, brasileiro casado com uma Marinovic.

Quem preferiu torcer para a Croácia saiu reclamando da arbitragem na abertura da Copa do Mundo:

- Foi pênalti? Você achou que foi pênalti? Então você não sabe nada de futebol - esbravejou um senhor, ao telefone, na saída do local.

- Essa Copa está arranjada para o Brasil. Isso já foi falado - conformou-se uma senhora, ao lado.

Torcedor solta a voz enquanto vê o jogo no telão (Foto: Fellipe Lucena)

O lance que gerou as maiores reclamações foi o pênalti marcado para o Brasil depois que Fred se jogou em disputa com Lovren. Neymar bateu e virou o jogo para 2 a 1. A falta de Olic sobre Júlio César, pouco tempo depois, gerou mais dúvidas. Poderia ser o gol de empate dos croatas.

Em meio a constantes gritos de "Hrvatska" (nome do país na língua local), era possível ver pessoas com camisa da Croácia e chapéu do Brasil ou vice-versa. As torcidas estavam divididas. Na verdade, todos querem que as duas seleções se classifiquem para as oitavas de final.

- Em dias sem jogos, a Sociedade tem aulas de croata, festivais folclóricos, danças típicas... Tudo com trabalho voluntário. Não precisa pagar para participar, é só querer - explicou Katia Gavranic, uma das sócias.

Contra México e Camarões, o telão voltará a ser intalado na Mooca. E a torcida não estará dividida: será 100% Hrvatska, 100% Croácia.