icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
10/03/2014
18:58

As manifestações previstas para a Copa do Mundo, a partir de junho, como aconteceu na Copa das Confederações, no ano passado, preocupam Pelé. Presente em Paris nesta segunda-feira para acompanhar o tour da taça do Mundial como embaixador da Coca Cola, o Rei faz um apelo para que a imagem do país não seja arranhada.

– Como brasileiro, eu fico triste. Temos duas grandes oportunidades de mostrar nosso país ao mundo com a Copa e os Jogos Olímpicos (em 2016 no Rio de Janeiro). É uma oportunidade para o país ganhar dinheiro, de desenvolver o turismo e é importante que as manifestações não estraguem tudo isso, então vamos trabalhar duro – disse Pelé, em entrevista à agência AFP.

Apesar do receio, o ex-jogador acredita que a experiência tida durante a Copa das Confederações em 2013 deixou o governo em uma condição melhor para lidar com os protestos nas cidades que receberão as partidas do Mundial.

– É um das áreas que mais nos preocupam, mas depois da experiência da Copa das Confederações, o governo se organizou melhor e se mostrou mais presente. Espero que tenhamos uma excelente Copa do Mundo. Nós merecemos – disse.

Na expectativa por acompanhar uma conquista do Brasil em casa, Pelé vê a Seleção em um bom nível, mas faz um alerta para outros dois adversários que merecem atenção e também são favoritos ao título.

– Estamos acostumados a ver o Brasil marcar muitos gols, mas uma Copa do Mundo é muito diferente. É um torneio curto, que dura apenas um mês. Temos de ficar atentos porque há grandes equipes no momento: a Alemanha, que joga muito bem, e a Espanha, que precisa ser respeitada porque atua com o mesmo grupo de jogadores há oito anos – ponderou o Rei do Futebol.