icons.title signature.placeholder Eduardo Mendes e Pedro Leanza
30/11/2013
09:03

O diretor de futebol, Paulo Pelaipe, já tem o novo contrato para continuar no Flamengo. O dirigente, porém, fez algumas exigências para assinar a renovação. A principal delas é sobre a mudança de algumas peças do staff do futebol, inicialmente no departamento de comunicação do clube.

Ao longo do ano, Pelaipe teve alguns atritos internamente com pessoas do cotidiano do futebol. O último deles e que foi público foi com o assessor de imprensa do clube no jogo contra a Portuguesa, no Castelão, em Fortaleza.

O clube deverá manter o atual salário de Pelaipe, que recebe R$ 90 mil (bruto) por mês. O dirigente não havia feito exigência de reajuste. Até porque o atual contrato tem cláusula de renovação automática e não há previsão de reajustes, apenas em relação a prêmios.

Quando o dirigente negociou com o Flamengo, ele exigiu um contrato por duas temporadas, mas o clube firmou compromisso de apenas um. Na época, os diretores rubro-negros alegaram erro por parte do departamento jurídico e, apesar de ter reprovado, Pelaipe aceitou.

Alvo de muitas críticas ao longo do ano, tanto por parte da imprensa quanto internas, o diretor resistiu no momento mais crítico – quando Mano Menezes entregou o cargo – e ganhou força após a conquista do título da Copa do Brasil.

Neste período, Paulo Pelaipe contou com apoio do presidente, Eduardo Bandeira de Mello, e do vice de futebol, Wallim Vasconcellos, que bancou a permanência do diretor.