icons.title signature.placeholder Bruno Grossi
03/02/2015
06:00

O São Paulo apresenta, nesta terça-feira, Ricardo Centurión como o reforço mais esperado pela torcida nesta temporada. Aos 22 anos, o meia carrega nas costas um passado conturbado pela fama de "bad boy", instaurada por uma foto segurando um revólver. Da Argentina, o Tricolor soube que o garoto mudou. Por isso, promete dar todo suporte para que o rótulo no Brasil seja o de "bom rapaz".

- No Racing já era um líder. É jovem, de familia muito huimilde e veio de uma favela. Está crescendo como atleta e a gente já viu que é um bom rapaz. Precisa de orientação, e já estamos dando essa orientação. Ele vai se dar muito bem no Brasil. Lamentavelmente, ele vai ficar marcado por aquela foto, mas vamos desprezar esse tipo de coisa e procurar colocar na cabeça dele que isso é passado. Ele já mudou - destacou o vice-presidente de futebol são-paulino, Ataíde Gil Guerreiro, à rádio Energia 97.

Foto com uma arma gerou problemas para Centurión (FOTO: Reprodução)

A imprensa argentina reforça o coro do dirigente tricolor. Para Daniel Avellaneda, que cobre o dia a dia do Racing, Centurión retornou da passagem frustrada pelo Genoa (ITA) mais maduro e assumiu a responsabilidade de conduzir a equipe ao título do último Campeonato Argentino. O "bad boy" foi enterrado. O momento é de deixar o futebol falar mais alto na curta carreira do meia. Assim, ele despertou o interesse são-paulino.

- Muricy (Ramalho), Milton Cruz, Tata e o Gustavo Oliveira (gerente-executivo) foram um grupo para discutir e procurar jogadores. Não sei de onde surgiu o Centurión, mas sei que analisamos bastante. Era difícil no começo, o Racing não queria, mas depois amadureceu. O Racing não queria - declarou o cartola.

Com poucas palavras, Centurión já vestiu a camisa de treino do São Paulo na última segunda-feira para realizar exames médicos no HCor. Depois, foi ao CT da Barra Funda e descobriu que usará o número 20. Pôde conhecer as instalações e até alguns funcionários e atletas do clube. Nesta terça, será a vez da torcida conhecê-lo de perto. Seja como "bad boy" ou como "bom rapaz".

Os primeiros que poderão tirar a prova sobre o perfil do argentino serão seis sócios-torcedores escolhidos pelo clube para recepcioná-lo antes da apresentação marcada para as 11h30 desta terça-feira. O grupo presenteará Centurión com uma camisa oficial, um boné, um diploma e uma carteirinha alusivas ao programa de sócios, alvo de críticas nos últimos anos. Depois, o presidente Carlos Miguel Aidar apresentará o jovem à imprensa. Será a primeira aparição do mandatário neste ano. Até então, os outros reforços haviam sido apresentados por Rubens Moreno, diretor de futebol.