icons.title signature.placeholder Murilo Dias e Thiago Ferri
03/07/2014
08:01


A folga recebida por Valdivia após a eliminação do Chile na Copa do Mundo se encerra nesta quinta-feira. O jogador irá se reapresentar ao Palmeiras, mas seu empresário, Wagner Ribeiro, busca interessados pelo armador na Europa - a janela de transferências internacionais reabre no dia 14 de julho. Ciente disto, Paulo Nobre já prepara-se para um possível adeus do meia.

– Se vier uma proposta boa para ele e para o clube, não tem como segurar – admitiu o dirigente ao LANCE!Net.

Aos 30 anos, o meia tem contrato com o Verdão até agosto de 2015, e sua transação gerou custos totais de R$ 36 milhões. Seu grande foco no ano era preparar-se para o Mundial, do qual La Roja foi eliminada nas oitavas de final, pelo Brasil.

Antes de se apresentar ao grupo de Sampaoli, o Mago firmou uma relação com Wagner Ribeiro, empresário de bom trânsito na Europa. Ao L!Net, o agente diz que já possui uma proposta por Valdivia, mas ainda faz mistério sobre qual o interessado. Tanto Palmeiras quanto pessoas próximas ao meia não conhecem esse possível interessado.

Dono de um salário de quase R$ 500 mil, Valdivia é “dividido” da seguinte forma: o Palmeiras tem 54% de seus direitos econômicos, o próprio jogador, 10%, e Osório Furlan, que ajudou a trazê-lo, em 2010, os outros 36%.

Ainda sem saber de propostas, Furlan combinou com o presidente que participará das negociações junto do meia e o clube. Apesar de elogiar Valdivia, Nobre diz que não “forçará” para mantê-lo.

– Gostamos muito do Valdivia, ainda mais esse Valdivia desse último ano e meio, um jogador exemplar. Mas o torcedor precisa entender que se vier uma proposta muito boa para o jogador, ele acaba ficando com a cabeça mais na proposta do que no clube. Então não adianta a gente forçar certas situações.