icons.title signature.placeholder Felipe Mendes
30/04/2014
19:01

Paulo Coco só ficou dois dias no cargo de técnico do Vôlei Amil. Anunciado na quarta-feira da semana passada como substituto de José Roberto Guimarães na função, o treinador foi comunicado na sexta-feira que a empresa de plano de saúde ia retirar o patrocínio. Na terça-feira, veio o comunicado oficial do fim do time. Fim? Não, no que depender de Coco.

- Nunca é fácil conseguir patrocínio, ainda mais do porte que tínhamos. Claro que estamos buscando a sobrevivência do projeto. Mesmo que não consigamos manter o nível que estava. Até porque, o mercado está em ebulição e várias jogadoras já acertaram com outras equipes. Vamos tenta o que tiver ao nosso alcance. Temos algumas reuniões marcadas, algumas situações pintando - disse o treinador, após o treino da Seleção Brasileira feminina, em Saquarema (RJ).

Assim como Zé Roberto, seu auxiliar na Seleção também foi pego de surpresa com o fim do apoio da Amil. Até porque já tinha começado a montagem da equipe para a próxima temporada. Algumas jogadoras, inclusive, já estavam em vias de assinar contrato.

Após ser informado da decisão da Amil, Coco e outros dirigentes da equipe tentaram, durante o fim de semana, fazer a empresa de plano de saúde mudar de ideia. Mas não obtiveram sucesso

- Infelizmente, perdemos uma potência no vôlei brasileiro. Tínhamos uma das melhores estruturas entre as equipes da Superliga. Não podemos deixar isso acabar - finalizou o treinador.