icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
17/02/2015
12:24

O São Paulo desistiu de esperar pelas autoridades e resolveu disponibilizar ônibus para seus torcedores deslocarem-se da Arena Corinthians para casa, nesta quarta-feira, após o clássico contra o Corinthians, pela Copa Libertadores. O presidente Carlos Miguel Aidar anunciou a decisão na manhã desta terça-feira e disse que contará com a ajuda do rival para custear a medida.

- Como o poder público não foi competente para assegurar esse direito, o São Paulo vai fazer uma coisa inédita na minha gestão e irá disponibilizar cerca de 50 a 60 ônibus para os torcedores. Já falei com os chefes de torcidas e com o Corinthians. Inclusive, pelo que falei com Andrés Sanchez (ex-presidente do Corinthians), está assegurado que o Corinthians vai bancar metade do valor gasto com o transporte - afirmou Carlos Miguel Aidar, em entrevista no CT da Barra Funda.

Apesar da medida, o dirigente manteve o tom de revolta contra as autoridades.

- É inadmissível as autoridades não resolverem o problema. Eu vejo com muita tristeza esse episódio. A única consequência que eu vejo é a torcida única, o que também é um absurdo - analisou Aidar.

A Torcida Independente, maior organizada do São Paulo, pressionou as autoridades para ter acesso a transporte público, mas não obteve sucesso. O Tricolor também reforçou a campanha por meio do presidente Carlos Miguel Aidar, mas a tentativa foi em vão.

Antes da decisão do clube, a Secretaria de Segurança apenas assegurava a escolta caso os torcedores conseguissem ônibus para voltar do estádio, sem cogitar a extensão do horário de funcionamento de metrô e trens da CPTM, previstos para fechar às 0h30 e meia-noite, respectivamente. Nessas condições, os são-paulinos não teriam acesso ao transporte tendo em vista que só poderão deixar o estádio uma hora depois dos corintianos, momento em que o transporte público já estará fechado. 

Com a postura das autoridades de não modificar o plano de segurançaa Torcida Independente ameaçou voltar de Itaquera para o Centro a pé e disse não se responsabilizar por possíveis danos. Aidar chegou a citar o Estatuto do Torcedor, que em seu artigo 26 declara ser um direito ter "transporte público seguro e organizado" no dia de jogos, seja na ida ou na saída dos eventos. 

Aidar não revolou quanto o São Paulo pagará pelo aluguel dos ônibus, mas reforçou que os gastos serão custeados com a ajuda do Corinthians. O presidente são-paulino disse estar confiante para o clássico desta quarta, ao ser perguntado sobre quem é o favorito:

- O São Paulo, claro, Porque é melhor - definiu Aidar.