icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
25/07/2013
15:59

Com 38 anos de idade, o meia Paulo Baier foi fundamental para a vitória do Atlético-PR contra o Paysandu, por 2 a 1, em Curitiba, pela Copa do Brasil. O veterano marcou um gol - o 150º do Furacão na história da competição - e deu assistência para o outro, de Marcelo. A partida classificou o clube às oitavas de final do torneio, e mostrou que o jogador, pouco utilizado pelo ex-treinador Ricardo Drubscky, ainda pode ter vaga de titular no elenco do Rubro-Negro.

- Nunca fiquei satisfeito de ficar no banco de reservas e nunca fiquei satisfeito de entrar 10 ou 15 minutos. Mas tenho de respeitar a decisão. A opinião do Ricardo era de que precisava de mais juventude do que experiência. Em todos os times de hoje tem mais experientes do que a meninada. - disse o jogador à rádio oficial do clube, e justificou este como um dos motivos para a má campanha no Campeonato Brasileiro.

Foi a primeira vez que o experiente meia disputou duas partidas consecutivas em um intervalo de um ano. E, segundo ele, a forma está ótima, e há muita disposição para defender o Atlético dentro de campo.

- Joguei 90 minutos no barro contra o Corinthians, e mais o jogo de hoje. Não preciso provar mais nada para ninguém. Estou feliz da vida. No sábado, quem sabe eu jogue pelo menos uns 60 e 70 minutos. Amo o que faço e vou procurar jogar mais um ano. E espero que possa ser na nova Arena, e terminar lá - finalizou, referindo-se à Arena da Baixada, em obras para a Copa do Mundo de 2014.


Com 38 anos de idade, o meia Paulo Baier foi fundamental para a vitória do Atlético-PR contra o Paysandu, por 2 a 1, em Curitiba, pela Copa do Brasil. O veterano marcou um gol - o 150º do Furacão na história da competição - e deu assistência para o outro, de Marcelo. A partida classificou o clube às oitavas de final do torneio, e mostrou que o jogador, pouco utilizado pelo ex-treinador Ricardo Drubscky, ainda pode ter vaga de titular no elenco do Rubro-Negro.

- Nunca fiquei satisfeito de ficar no banco de reservas e nunca fiquei satisfeito de entrar 10 ou 15 minutos. Mas tenho de respeitar a decisão. A opinião do Ricardo era de que precisava de mais juventude do que experiência. Em todos os times de hoje tem mais experientes do que a meninada. - disse o jogador à rádio oficial do clube, e justificou este como um dos motivos para a má campanha no Campeonato Brasileiro.

Foi a primeira vez que o experiente meia disputou duas partidas consecutivas em um intervalo de um ano. E, segundo ele, a forma está ótima, e há muita disposição para defender o Atlético dentro de campo.

- Joguei 90 minutos no barro contra o Corinthians, e mais o jogo de hoje. Não preciso provar mais nada para ninguém. Estou feliz da vida. No sábado, quem sabe eu jogue pelo menos uns 60 e 70 minutos. Amo o que faço e vou procurar jogar mais um ano. E espero que possa ser na nova Arena, e terminar lá - finalizou, referindo-se à Arena da Baixada, em obras para a Copa do Mundo de 2014.