icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
29/07/2013
12:15

O Corinthians precisa mudar o jeito de jogar no Pacaembu. É esse o pensamento de Paulo André, um dos líderes do elenco, um dia depois do empate sem gols contra o São Paulo, no estádio Paulo Machado de Carvalho. O camisa 13, perguntado sobre a 11ª posição no Brasileirão, admitiu que os jogadores estão insatisfeitos com o redimento até o momento.

- Não é o início que a gente esperava. Até por ter saído cedo da Libertadores, esperávamos ter gordura lá para frente. É um campeonato difícil, as derrotas surgem e precisa ter gordura para, de vez em quando, perder. Em casa, o nosso rendimento não está satisfatório, foram muitos pontos perdidos. Com seis ou sete a mais estaríamos na liderança ou entre os quatro primeiros. Temos de mudar agora, precisamos de uma maneira melhor para jogar em casa, para envolver os adversários, que têm vindo mais ou menos da mesma forma e isso tem dificultado nossa maneira de jogar - disse o defensor.

Até o momento, o Timão venceu apenas um jogo em casa, contra a Ponte Preta, por 1 a 0, ainda antes da parada da Copa das Confederações. Além disso, empatou com Botafogo, Portuguesa e São Paulo, e perdeu por 1 a 0 para o Atlético-MG. Apesar das críticas de alguns jogadores em relação à retranca do Tricolor, o zagueiro disse que o rival apenas seguiu um estilo de jogo que tem criado dificuldade ao Timão.

- O esquema foi o necessário, fizemos mais ou menos isso em 2011 (no Brasileirão), quando empatamos por 0 a 0 lá e saímos para a busca do título. As estratégias são utilizadas de acordo com as necessidades de cada equipe, acho que a maioria das equipes virão assim no Pacaembu, somos o time a ser batido, precisamos aprender a jogar. O Paulistão todo foi assim, empatamos bastante e tivemos dificuldade para criar chances e vencer. Espero que, com nosso elenco, possamos ter opções que possam fazer a diferença individualmente - analisou.

Na quarta-feira, o rival em casa será o Grêmio de Renato Gaúcho, sétimo colocado com 15 pontos. Pelo estilo de jogo, o defensor acredita que o confronto poderá ser diferente. A não ser que o Tricolor gaúcho tenha percebido as dificuldades alvinegras...

- Pelo estilo de jogo eles devem vir de igual pra igual. Gostamos desse tipo de confronto e normalmente nos damos bem, mas acho difícil por estarem vendo nossas dificuldades em outros jogos. Nós temos de criar mecanismos - finalizou.

O Corinthians precisa mudar o jeito de jogar no Pacaembu. É esse o pensamento de Paulo André, um dos líderes do elenco, um dia depois do empate sem gols contra o São Paulo, no estádio Paulo Machado de Carvalho. O camisa 13, perguntado sobre a 11ª posição no Brasileirão, admitiu que os jogadores estão insatisfeitos com o redimento até o momento.

- Não é o início que a gente esperava. Até por ter saído cedo da Libertadores, esperávamos ter gordura lá para frente. É um campeonato difícil, as derrotas surgem e precisa ter gordura para, de vez em quando, perder. Em casa, o nosso rendimento não está satisfatório, foram muitos pontos perdidos. Com seis ou sete a mais estaríamos na liderança ou entre os quatro primeiros. Temos de mudar agora, precisamos de uma maneira melhor para jogar em casa, para envolver os adversários, que têm vindo mais ou menos da mesma forma e isso tem dificultado nossa maneira de jogar - disse o defensor.

Até o momento, o Timão venceu apenas um jogo em casa, contra a Ponte Preta, por 1 a 0, ainda antes da parada da Copa das Confederações. Além disso, empatou com Botafogo, Portuguesa e São Paulo, e perdeu por 1 a 0 para o Atlético-MG. Apesar das críticas de alguns jogadores em relação à retranca do Tricolor, o zagueiro disse que o rival apenas seguiu um estilo de jogo que tem criado dificuldade ao Timão.

- O esquema foi o necessário, fizemos mais ou menos isso em 2011 (no Brasileirão), quando empatamos por 0 a 0 lá e saímos para a busca do título. As estratégias são utilizadas de acordo com as necessidades de cada equipe, acho que a maioria das equipes virão assim no Pacaembu, somos o time a ser batido, precisamos aprender a jogar. O Paulistão todo foi assim, empatamos bastante e tivemos dificuldade para criar chances e vencer. Espero que, com nosso elenco, possamos ter opções que possam fazer a diferença individualmente - analisou.

Na quarta-feira, o rival em casa será o Grêmio de Renato Gaúcho, sétimo colocado com 15 pontos. Pelo estilo de jogo, o defensor acredita que o confronto poderá ser diferente. A não ser que o Tricolor gaúcho tenha percebido as dificuldades alvinegras...

- Pelo estilo de jogo eles devem vir de igual pra igual. Gostamos desse tipo de confronto e normalmente nos damos bem, mas acho difícil por estarem vendo nossas dificuldades em outros jogos. Nós temos de criar mecanismos - finalizou.