icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
17/11/2013
20:18

Ainda em ritmo de festa e repleto de desfalques (Dedé, Nilton, Egídio, Dagoberto e Borges não jogaram), o time do Cruzeiro que esteve em campo contra a Ponte Preta ficou muito marcado pela falta de entrosamento, pouca velocidade e ritmo abaixo das expectativas dentro de campo. Para Paulão, os vacilos da defesa celeste durante o jogo podem ser explicados pelo cansaço e falta de ritmo de jogo.

– A maioria dos jogadores estava com muita vontade de jogar, estávamos há muito tempo sem entrar em campo. Então é normal que isso fosse acontecer. Temos que agradecer os torcedores, mas também aos jogadores pelo empenho, mesmo há bastante tempo sem jogar - falou o zagueiro, explicando, principalmente, o cochilo da zaga celeste no segundo gol.

E MAIS:
> Com time misto, Cruzeiro empata com a Ponte no triângulo mineiro
> Vinícius Araújo comemora golaço e chance bem aproveitada
> Paulão fala sobre cansaço em seu primeiro jogo no Brasileirão

Neste domingo, Paulão formou a dupla de zaga com o zagueiro Léo. Esta foi a primeiro partida do Caveirão no Campeonato Brasileiro. Ao longo do torneio, Marcelo escalou Dedé e Bruno Rodrigo na zaga titular. Na ausência de um deles, Léo era quem ocupava o posto no time principal.