icons.title signature.placeholder Diogo Sautchuk e Russel Dias
27/06/2014
07:03

O argentino Patito Rodríguez voltou ao Santos antes do prazo estabelecido. Após ser emprestado ao Estudiantes (ARG), o atacante tinha contrato até o dia 30, mas resolveu se reapresentar antes, já em São José dos Campos (SP), onde os jogadores estão treinando durante a Copa do Mundo.

Longe do clube há dez meses, o argentino é considerado uma cara nova. Para ele, o Peixe também tem muitas delas desde que saiu. Em seu primeiro treino, na manhã da última quinta-feira, Patito só correu em volta do gramado e falou com poucos.

Além de ainda não ter sido integrado ao elenco alvinegro, o argentino trata de uma lesão no tornozelo direito há duas semanas. Por conta disso, ele pouco quis falar, e espera se recuperar. Mas em poucas palavras, o jogador opinou a respeito de sua volta ao Santos.

- Eu tinha que voltar, tenho contrato. Mas eu quis, sim, voltar para o Santos, porque no Brasil tem uma liga mais competitiva e prefiro jogar aqui - disse ao LANCE!Net.

Sobre sua estadia no país vizinho, Patito conta que foi titular na maioria dos jogos de sua equipe.

- Joguei bastante lá, nós (Estudiantes) brigamos pelo título - afirmou sobre a campanha de seu ex-clube, que até a pausa para o Mundial estava na quarta posição do Torneio Final, com 32 pontos.

Neste tempo, Patito não conseguiu acompanhar o Santos e pouco sabe sobre as mudanças no elenco, além da saída de Neymar. Fato é que o técnico Oswaldo de Oliveira terá lugar para testá-lo e saber se o atacante poderá ser aproveitado.

- Estou com vontade de jogar aqui, mas não sei como estão as coisas. Ainda não conversei com a comissão técnica - disse o atacante.

Acostumado a atuar pelos lados do ataque, Rodríguez pode concorrer com Thiago Ribeiro e Geuvânio pela vaga. Isso se agradar o treinador nas chances que tiver. O observador técnico, Sandro Orlandelli viu alguns jogos do atacante na Argentina e gostou.

Patito chegou ao Peixe em julho de 2012. Os 50% dos direitos econômicos, que pertencem ao Santos, custaram aproximadamente R$ 2,3 milhões. Seu contrato foi assinado até julho de 2016. Caso Oswaldo não utilize o jogador, o Comitê de Gestão estudará negociá-lo por um valor próximo do que foi gasto em 2012.