icons.title signature.placeholder Guilherme de Mattos - Craque do Futuro
12/12/2013
16:56

As Olimpíadas do Rio começam oficialmente apenas em 2016. E por ser uma mega competição de âmbito mundial, é uma grande oportunidade para que marcas sejam expostas e vistas pelo público em geral, atingindo um importante objetivo de reconhecimento. Isso porque, o esporte é o ramo do entretenimento que mais gera visibilidade para as empresas patrocinadoras.

Porém, não basta ter a marca estampada na camisa dos atletas, por exemplo, apenas no período dos grandes eventos esportivos. Quanto maior o tempo de exposição, melhor para a marca ser assimilada e reconhecida pelo público. E pensando nisso, a SKY resolveu, há pouco mais de quatro anos, investir pesado no esporte nacional. O clube escolhido para esta parceria foi o Esporte Clube Pinheiros, que hoje é considerado uma das maiores potências esportivas no Brasil.

- A parceria surgiu junto com a entrada da SKY no Vôlei do Pinheiros. Naquele momento, a LNB (Liga Nacional de Basquete) estava em seu primeiro ano e a SKY acreditou que o basquete poderia ser uma ótima opção de investimento. Na realidade, a fórmula foi planejar a modalidade para obtermos sucesso a médio e longo prazo, sempre com o aval do patrocinador - afirmou João Rossi, diretor de esportes olímpicos do Pinheiros, ao LANCE!Net.

Nesta temporada, após conquistar a Liga das Américas, o Pinheiros/SKY disputou o Mundial Interclubes frente ao Olympiacos, da Grécia. Mesmo com o revés nas duas partidas da competição, a equipe paulista conseguiu mostrar a força de um trabalho bem feito. Além disso, a aquisição de um jogador da NBA, Leandrinho, foi vista com bons olhos pela parceria.

Com o sucesso, o Pinheiros já tem conversas com a SKY para um ampliação desta união. Ainda mais neste momento de crescimento do esporte no país e, com a chegada da primeira Olimpíada ao Brasil, em 2016.

- No momento, estamos concentrados em fortalecer o relacionamento com a modalidade basquete. Porém, temos os jogos do Rio 2016 e boas oportunidades poderão surgir,  e lógico que a SKY poderá analisar e decidir sobre estas oportunidades - completou Rossi.