icons.title signature.placeholder Caio Carrieri e Fellipe Lucena
icons.title signature.placeholder Caio Carrieri e Fellipe Lucena
19/07/2013
08:05

De companheiros de quarto nas concentrações do Palmeiras a quase protagonistas de uma briga na Academia de Futebol. Em um momento de exaltação após disputa de bola, Wesley e Ronny se desentenderam durante coletivo nesta quinta-feira e tiveram de ser separados pela turma do "deixa disso".

Com os ânimos mais calmos, ambos garantiram que a ríspida discussão não passou de lance corriqueiro de treino em um elenco em que todos querem um espaço. Inchado, o grupo atualmente conta com 43 jogadores.

– Eu estava com a bola, e ele veio me marcar. Dei um jogo de corpo, ele deixou o pé e pegou no meu tornozelo. Naquele momento fiquei nervoso, porque dentro de campo tem de levar a sério, todo mundo quer seu espaço. Mas eu e Wesley somos amigos, concentramos juntos, e já fomos para o vestiário, onde nos abraçamos – esclareceu ao LANCE!Net Ronny, que estava entre os reservas.

O discurso do volante não difere muito, já que também ressalta a competitividade como pano de fundo do breve entrevero no centro de treinamento.

– O que houve ali foi coisa de treino que acontece algumas vezes, mas é normal. Todos querendo ganhar, mas já conversamos mesmo durante o treino e já está tudo certo. O Ronny é parceiro - explicou o titular Wesley.

Na vice-liderança com 18 pontos, o Palmeiras enfrenta neste sábado o Figueirense, no Orlando Scarpelli, pela nona rodada da Série B do Brasileiro. Os donos da casa estão em quinto lugar, com 16. A líder é a Chapecoense, com 20.


De companheiros de quarto nas concentrações do Palmeiras a quase protagonistas de uma briga na Academia de Futebol. Em um momento de exaltação após disputa de bola, Wesley e Ronny se desentenderam durante coletivo nesta quinta-feira e tiveram de ser separados pela turma do "deixa disso".

Com os ânimos mais calmos, ambos garantiram que a ríspida discussão não passou de lance corriqueiro de treino em um elenco em que todos querem um espaço. Inchado, o grupo atualmente conta com 43 jogadores.

– Eu estava com a bola, e ele veio me marcar. Dei um jogo de corpo, ele deixou o pé e pegou no meu tornozelo. Naquele momento fiquei nervoso, porque dentro de campo tem de levar a sério, todo mundo quer seu espaço. Mas eu e Wesley somos amigos, concentramos juntos, e já fomos para o vestiário, onde nos abraçamos – esclareceu ao LANCE!Net Ronny, que estava entre os reservas.

O discurso do volante não difere muito, já que também ressalta a competitividade como pano de fundo do breve entrevero no centro de treinamento.

– O que houve ali foi coisa de treino que acontece algumas vezes, mas é normal. Todos querendo ganhar, mas já conversamos mesmo durante o treino e já está tudo certo. O Ronny é parceiro - explicou o titular Wesley.

Na vice-liderança com 18 pontos, o Palmeiras enfrenta neste sábado o Figueirense, no Orlando Scarpelli, pela nona rodada da Série B do Brasileiro. Os donos da casa estão em quinto lugar, com 16. A líder é a Chapecoense, com 20.